ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

19-Tiago Antônio

20-Aneilde Silvestre

20-Liliane Liger

20-Mª Walkiria

20-Pb. Silas Luiz

20-Dc. Francisco de Assis (J. Américo)

21-Levi Ancelmo

23-Rosilene da Silva

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: lembramos aos membros e congregados da Igreja que não se esqueçam de frequentar a Escola Bíblica Dominical. Temos classes para todos os segmentos de pessoas (homens, mulheres, jovens, adolescentes, juniores e crianças). Não percam essa oportunidade que Deus lhes está dando de aprender mais de Sua Palavra.

Tamanho da letra:

É tempo de Natal

     Dentre as festas de final de ano o Natal ocupa papel preponderante. E deve ser assim porque o Natal fala do nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo, da sua vinda a este mundo para salvar os pecadores perdidos. Infelizmente, fora do circuito cristão, pouca compreensão há desse extraordinário acontecimento.

      No mundo consumista em que vivemos, mesmo dentro do circuito cristão evangélico, o Natal tem perdido o seu verdadeiro significado, que foi substituído pela troca de presentes, pelas festas, jantares, almoços, etc. Nada contra esse momento em que as pessoas se desdobram em gentilezas e generosidades, apenas lamentamos que essa visão seja colocada como prioridade na vida daqueles que professam a fé em Jesus. Mas graças a Deus que os verdadeiros crentes em Cristo não têm perdido de vista a preciosidade da mensagem natalina, pois, eles estão em contato permanente com as Sagradas Escrituras, que sempre sinaliza o verdadeiro curso da vida cristã. Nesta reflexão iremos nos reportar as origens do Natal baseada na Bíblia Sagrada e no que ele veio nos proporcionar.

      No programa divino o Natal não é algo que apenas teve origem em Belém da Judéia, numa estrebaria, numa manjedoura. Ele já estava definido antes que o mundo viesse a existir. O primeiro vaticínio do Natal encontra-se em Gênesis 3.15 quando nos é dito que da semente da mulher nasceria aquele que esmagaria a cabeça da serpente. A mulher de que fala o texto é Maria, e aquele que esmagaria a cabeça da serpente é Cristo, e a Serpente, o diabo. A segunda profecia sobre o Natal encontra-se em Gn 12.3 quando é dito que o Messias seria descendente de Abraão, e que ele seria o motivo de bênçãos para todas as famílias da terra. O terceiro vaticínio encontra-se em Gn 49.10 onde nos é dito que o Cristo seria descendente da tribo de Judá. É dito também nas Escrituras que Jesus seria descendente de Davi, o grande rei de Israel.

O profeta Isaías foi quem mais falou sobre o Messias vindouro. Numa de suas profecias ele disse que Jesus nasceria de uma virgem, dando a entender que a sua concepção seria de forma miraculosa, como de fato aconteceu, de acordo com Mateus e Lucas, pois ele nasceu por obra e graça do Espírito Santo sem o concurso do homem. “Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, Que traduzido é: Deus conosco” Mt 1.22,23. Noutra, Isaias disse: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” Is 9.6. O profeta Miquéias (5.2) vaticinou que o Messias nasceria na cidade de Belém, na Judéia, Israel. Outros profetas bíblicos também fizeram menção ao Natal de Jesus, conforme revelação do próprio Jesus. (Lc 24.27,44,45).

       Segundo Paulo, o Natal de Jesus aconteceu  exatamente no tempo determinado por Deus no Seu programa eterno. “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher,...” Gl 4.4. O fato histórico do Natal de Jesus é narrado pelos evangelhos de Mateus e Lucas. Quando Jesus nasceu foi feita por um dos anjos de Deus a seguinte proclamação: “... Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” . Lc 2.10,11.

       No programa redentor o fato histórico do Natal de Jesus é o primeiro grande evento. O segundo é a sua morte e a consequente ressurreição, seguido da ascensão e da entronização do Senhor Jesus nos Céus.

       Amados, regozijemo-nos na presença de Deus pelo Natal de Jesus e pelo que ele fez por nós, principalmente por nos ter trazido a salvação eterna.      

Pr. Eudes L. Cavalcanti