Não é preciso ser um teólogo para reconhecer que a quantidade de pessoas realmente preparadas para ministrar em nome de Cristo está longe de ser a ideal.

Líderes cheios de boas intenções, mas vazios do que realmente pode fazer a diferença em seus ministérios: a graça capacitadora do Espírito Santo.


Em Coração em chamas pelo Espírito, o autor, Wesley L. Duewel, chama a atenção do leitor para essa verdade.

Com profunda sensibilidade e humildade, ele apresenta as qualidades de um ministério transformador.

Sua abordagem é simples e "pé no chão" e reflete de maneira clara a mente de alguém que tem procurado viver aos pés de Cristo.


Leitura obrigatória para todo líder cristão, seja ele pastor, líder leigo, professor da Bíblia ou de escola dominical, líder de jovens ou missionários.


Sobre o autor:

Wesley L. Duewel, (1916 - 2014), D.Ed. University of Cincinnati, é ex-presidente da OMS International e por 25 anos serviu como missionário na Índia. Tendo ocupado numerosos cargos em entidades evangélicas relacionadas a missões, o Dr. Duewel foi um destacado estadista missionário.

Pastor batista que usava site de adultério e teve nome expostopor hackers comete suicídio 

Um pastor que havia se cadastrado no site de adultério Ashley Madison e que foi exposto pela ação de hackers não suportou a pressão do caso e cometeu suicídio.

John Gibson, 56, pastor da Primeira Igreja Batista do Sul em Pearlington, Mississippi (EUA) e professor na faculdade do Seminário Teológico Batista Leavell de Nova Orleans, tirou a própria vida no dia 24 de agosto, uma semana após ter seu nome revelado, junto a centenas de outros pastores.

A família revelou o caso somente essa semana, de acordo com informações do NY Daily News. A esposa de Gisbon, Christi, encontrou o corpo do marido em casa, com um bilhete de despedida.

“Ele falou sobre a depressão. Ele falou sobre ter seu nome lá, e ele disse apenas que estava muito, muito triste. O que sabemos sobre ele é que ele dedicou sua vida para outras pessoas, e ele ofereceu graça e misericórdia e perdão para todos os outros, mas de alguma forma ele não poderia estender isso para si mesmo”, afirmou a viúva.

Leia mais...

Novo estudo reitera que pessoas que frequentam igrejas têm vida mais longa

A fé faz bem para a alma, e um estudo demonstrou que crer em Deus faz bem também à saúde. Os pesquisadores afirmaram que quem vai à igreja com frequência tem vida mais longa que as pessoas que não são religiosas.

>O estudo realizado pelo Journal of Social Psychological and Personality Science (SPPS) revisou obituários de 43 cidades dos EUA. Eles estavam olhando para ver se as pessoas que viviam mais tempo compartilhavam algo em comum. E a descoberta foi surpreendente.

De acordo com o estudo, “o comparecimento aos cultos tem sido relacionado com a longevidade”. Os resultados mostraram que pessoas religiosamente afiliadas viviam entre 5,64 e 9,45 anos mais do que aquelas sem afiliação religiosa, segundo informações do portal Christian Headlines.

As descobertas da SPPS não são novidade. Um estudo conduzido pela JAMA Internal Medicine durante um período de 16 anos monitorou mulheres, e os resultados mostraram que as mulheres que compareceram a qualquer tipo de reunião religiosa mais de uma vez por semana tiveram uma chance 33% menor de morrer em comparação com descrentes.

Outro estudo do PLOS One relatou que aqueles que frequentam encontros religiosos regularmente são menos estressados e 55% menos propensos a morrerem do que pessoas que não frequentam a igreja ou outras religiões.

Leia mais...