ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

09-José Afonso (E. Sátiro)

10-Neusa de Moura

12-Edvando Bonifácio (Dc. R. do Sol)

14-Mª Teodória

15-Mª Eliane

Reuniões administrativas final de ano

13/12 – Reunião do Conselho Eclesiástico;

21/12 – Confecção Calendário 2019;

23/12 (M) - Assembleia da Igreja (homologação diretorias, recepção membros e separação para o oficialato )  

 

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO: o nosso jantar de confraternização será no dia 31/12, logo após o culto de final de ano. O culto será no horário das 21 às 23h, seguindo-se o jantar, que será no estilo americano. O Pb. Evandro José será o coordenador desse evento.

Tamanho da letra:

 

Cristianismo em Ação (Unidade Cristã)

       Um dos filmes que gosto é  “Os Mosqueteiros”, que tem como lema principal: “um por todos e todos por um”. Sempre me emociono ao ver neste filme que “a união faz a força”, e que "uma andorinha só não faz verão". Porém, quando olho para o mundo em que vivemos a realidade é outra. Tanto na sociedade quanto na igreja, o lema tem sido: “Deus por todos e cada um por si”. O espírito comunitário sumiu, e o que prevalece é o individualismo. É comum vermos a ênfase na centralização do “eu”, do “meu” e do “teu”. Entretanto, o cristianismo bíblico prima pelo coletivo ao invés do individual. Na oração sacerdotal, o Senhor Jesus ora ao Pai para “que os discípulos sejam um” (Jo 17.21). O apóstolo Paulo faz menção dessa unidade em Efésios 4.5,13. Não há dúvida que o propósito de Deus é que Seu povo viva em unidade (Sl 133.1). No entanto, pouco temos nos esforçado por esse mesmo ideal (e que ideal!). O famoso  reformador João Calvino falou que cruzaria os sete mares para unir os cristãos, na época da Reforma Protestante. Nesse mesmo tempo, Lutero e Zuinglio “brigavam” acerca do significado da ceia. Conta-se até uma história que os dois reuniram-se para um debate e ao passarem ponto por ponto seus conhecimentos teológicos, acabaram discordando apenas desse sacramento.

    Lamentavelmente, Lutero retirou-se do debate alegando que eles não comungavam do mesmo espírito! E assim, como Lutero, existe muitos cristãos fazendo guerra contra outros por questões tão pequenas e secundárias da fé ao invés de buscarem a unidade nas questões maiores e essenciais. Alguém já observou que “aquilo que nos divide é menor do que aquilo que nos une”.  Unidade não significa necessariamente uniformidade! Para sermos unidos não é necessário concordar com tudo, mas, aprendermos a nos respeitar mutuamente apesar de nossas diferenças. Se todos os cristãos ao menos tentassem se unir no essencial, não haveria espaço para contendas sobre assuntos periféricos. Falamos em outro artigo sobre cristãos que brigam por causa de dons ou talentos. Há quem brigue até mesmo por questão de horário de culto, ornamentação da igreja, liturgia, ensaios, eventos, e por ai vai. E esquecem-se da fraternidade, do amor, do perdão, da intercessão, do evangelismo, etc. A chave para a unidade de todos os cristãos é a pessoa do Senhor Jesus e não o ponto de vista ou gosto particular (Jo 15.5). Se Cristo e sua doutrina sacrossanta não forem suficientes para nos unir, então, devemos ser outra coisa ao invés de cristãos. Ser cristão significa ser um com Cristo. O lema cristão deve ser: “Cristo por todos e todos por Cristo”.     Portanto, abramos mão de nossas vaidades pessoais em honra ao Senhor Jesus que intercede por nós para que sejamos um só de coração e mente, assim como Ele é um em essência e propósito com o Pai (Jo 17.22). Solus Christus!        B.T. Samuel Santos