ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

25-Risolene Fernandes

26-Jaciara Araújo

27-Valdilene Régis

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Presb. José Diniz (Diniz, Lúcia, Laércia, Laélia, Og, Makobi e Nícolas). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

A SERIEDADE DO CULTO DIVINO

       O culto que oferecemos ao Senhor seja de que natureza for (oração, estudo bíblico, ou o culto vespertino no domingo à noite), é o momento de maior grandeza na vida de uma Igreja evangélica. É o momento em que ela se reúne para oferecer a Deus o culto que Lhe é devido. Todo o crente genuíno tem consciência de que deve se preparar adequadamente para esse momento de adoração a Deus. Os irmãos sabem que devem chegar cedo, antes da instalação do culto, que devem se comportar reverentemente (conversar com o vizinho só o necessário, não usar celular, tablete, etc), participar ativamente dos momentos de louvor, trazer a sua oferta de gratidão a Deus, ouvir com atenção a leitura e exposição da Palavra de Deus.

 

       Infelizmente temos constatado que diversos irmãos que estão subindo a casa do Senhor para o culto divino não estão participando efetivamente do mesmo. Uns se alojam na cantina, outros ficam na frente da Igreja, outros se assentam na calçada e ainda outros ficam no galpão. Uns estão usando os celulares enquanto o culto se desenvolve. O fato é que essas atitudes se constituem em um profundo desrespeito a presença do Senhor no meio da Igreja quando ela se reúne para adorar a Deus. O Senhor da Igreja prometeu se fazer presente quando ela se reunisse para adoração. “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” Mt 18.20. Na duríssima mensagem que Deus mandou contra a casa do sacerdote Eli nos tempos de Samuel, o Senhor disse que aqueles que O desprezassem seriam envilecidos, ou seja, envilecer significa: esquecidos, tornar-se vil, degradar-se, humilhado, etc (leia 1 Sm 2.30). É preciso que tenhamos temor no coração porque estamos nos relacionando com o Deus vivo e verdadeiro e que não tolera desrespeito a Sua pessoa. Lembremo-nos de que o Senhor Jesus, Deus, quando entrou no templo de Jerusalém e viu o lugar sagrado sendo profanado pela atitude daqueles que subiram para o templo com outra motivação, que não era adorar a Deus. Lembrem-se de que Ele, irado, derrubou as mesas dos cambiadores, expulsou os animais do átrio do santuário e talvez tenha até dado chibatadas em alguns. O Senhor disse que a sua casa era uma casa de oração e não um lugar qualquer. O autor sacro ao interpretar a atitude do Senhor Jesus, citou um dos textos sagrados que diz “O zelo da tua casa me devorará”. Queridos irmãos sejamos mais cuidadosos com a questão cultual para não sofrermos as consequências que a Palavra de Deus prever para quem não leva as coisas de Deus a sério.

                                            Pr. Eudes Lopes Cavalcanti