ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

16-Dc. José Marçal Jr.

19-Sara Mizraim

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Diácono João Bosco (Bosco, Socorro, Jonas e Joanne). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

Tem cuidado de ti mesmo

 

 
       Num culto de estudo bíblico do mês passado desenvolvemos pela graça divina o tema que está servindo como titulo desta reflexão. Naquele estudo enfatizamos três áreas nas quais o cristão deve ter cuidado de si mesmo. A primeira foi no que se refere ao seu relacionamento com Deus. Enfatizamos esse cuidado que o cristão deve ter, pois Deus é um ser pessoal e nós mantemos, através de Jesus Cristo, um relacionamento de natureza espiritual com Ele. Ainda explorando essa área, enfatizamos a adoração a Deus como algo relevante na vida do cristão, pois, afinal de contas, somos as pessoas alcançadas por Deus para esse mister (Jo 4.23,24). Ainda nessa área enfatizamos a questão do cuidado que devemos ter em obedecer aos mandamentos constantes de Sua Palavra, que o Senhor deixou para ser observado (Tg 1.22). Enfatizamos ainda que o cristão deve ter cuidado de si mesmo em relação a Deus no que se refere ao serviço que deve ser prestado a Ele, através da Igreja, por aqueles que foram constituídos servos de Deus (Rm 12.11).
      A segunda área trabalhada na questão do cuidado que o cristão deve ter, foi a que se refere a sua relação com a Igreja. Enfatizamos nessa área que a Igreja na sua expressão local é uma instituição divina e que, como  membros que somos da igreja, precisamos ter cuidado na questão da sujeição as orientações e disciplina da mesma (Mt 18.17,18). Ainda nessa área tratamos da questão do envolvimento do membro com as atividades da Igreja, saindo daquela posição de mero assistente para operoso cooperador (At 13.1,2). Ainda na área do cuidado  que o cristão deve ter nessa relação, tratamento da questão do amor fraterno, que é um mandamento dado pelo Senhor da Igreja para ser observado pelos filhos de Deus (Jo 13.34).
      Por último falamos do cuidado que o crente deve ter consigo mesmo no que refere ao seu relacionamento com o mundo. Falamos que o mundo, segundo a Bíblia Sagrada, está posto no maligno (1 Jo 5.19) e que a amizade com o mundo constitui-se inimizade contra Deus (Tg 4.4). Nessa área advertimos a Igreja para que não ame as coisas deste mundo, conforme orientação do apóstolo João em sua primeira carta (1 Jo 2.15). Ainda nessa área enfatizamos o cuidado que o crente deve ter em não se conformar com as coisas deste mundo (Rm 12.2), ou seja, não tomar a forma do mesmo, considerando que ele do mundo não é mais, conforme dito por nosso Senhor Jesus Cristo em sua oração sacerdotal (Jo 17.14,16). Ainda nessa questão da não conformação do cristão com o mundo enfatizamos a necessidade de o crente ser diferente sem ser pedante, vivendo em tudo uma vida exemplar (Rm 12.1). Ainda na área do cuidado que o crente deve ter na sua relação com o mundo trabalhamos a questão da reprovação das coisas pecaminosas deste mundo, conforme orientação do apóstolo Paulo em sua carta aos Efésios (Ef 5.11). Explorando essa questão falamos sobre o dever do crente se posicionar contra tudo que é contrário a santa Palavra de Deus, sem menosprezar o ser humano.
    Para os que estavam no culto este artigo serve para relembrar o que ouviram, e para os ausentes é uma advertência no que se refere ao cuidado que o crente deve ter como servo de Deus que é.
    Tratando do texto que serviu de base para aquele estudo e consequentemente para esta reflexão, a advertência foi feita por Paulo ao seu discípulo Timóteo, alertando sobre o cuidado que ele deveria ter consigo mesmo e com a doutrina, porque fazendo assim ele confirmaria a sua salvação e seria instrumento para a salvação de seus ouvintes (1 Tm.4.16).                 
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti