ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

12-Antônia de Lima

14-Elizabete Gomes (E. Satiro)

15-Severina Ferreira

15-Paula Francinett

16-Dc. Murilo Pedro

GRATIDÃO A DEUS PELOS PAIS DA IGREJA: agradecemos a Deus pela vida dos pais que fazem o ministério da III IEC/JPA. Louvamos a Deus pelo privilégio dado a eles de serem pais. Sabemos da grande responsabilidade deles diante de Deus, de criarem os seus filhos nos caminhos do Senhor, e para isso pedimos a graça divina. Rogamos sobre os pais uma benção especial de Deus neste dia, bem como durante a vida deles. Assim seja!

Tamanho da letra:

Tendo prazer nas coisas de Deus

 

      
 A pessoa antes de ser crente está morta em seus delitos e pecado. A sua natureza corrompida pelo pecado não tem prazer nas coisas de Deus é o que constatamos quando lemos o texto a seguir: “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que, noutro tempo, andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência; entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também” Ef 2.1-3. Paulo, apóstolo, escrevendo aos Coríntios disse que o homem natural não compreende as coisas de Deus. “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” 1 Co 2.14.
      Em contrapartida, o homem espiritual, aquele que nasceu de novo pela instrumentalidade do Espirito Santo, quando creu no Evangelho de Cristo, tem no seu coração um intenso prazer nas coisas de Deus. O salmista Davi, que experimentara essa transformação em sua vida, nos diz no Salmo 122, o seguinte: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor! Os nossos pés estão dentro das tuas portas, ó Jerusalém” Sl 122.1,2.  Há uma alegria maravilhosa na alma redimida quando chega à oportunidade dela se reunir com os seus irmãos na fé, nos dias convencionados pela Igreja, para a celebração a Deus. Pensamos que o salmista Davi, refletindo nisso, nessa reunião em que os remidos do Senhor se juntam para celebrar a Deus, é que cantou o confeccionou o Salmo de número 122.
     Além do prazer de está na casa do Senhor, o crente em Cristo tem prazer na santa Palavra de Deus, conforme o Salmo 119 nos revela: “Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros” (Vs 24). “E alegrar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo” (Vs 47). “Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca” (Vs 103).
      A pessoa renascida também tem prazer em buscar a presença de Deus através da oração, tanto através da oração particular como através da oração em conjunto com os seus irmãos em Cristo, no templo.  O profeta Daniel era uma dessas pessoas que gostava de buscar a presença de Deus através da oração. “Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer” Dn 6.10. Os irmãos da Igreja Primitiva tinham prazer de estar juntos em oração buscando a face do Senhor. “E, considerando ele nisso, foi à casa de Maria, mãe de João, que tinha por sobrenome Marcos, onde muitos estavam reunidos e oravam” At 12.12.
   E você irmão, tem prazer nas coisas de Deus ou elas não são tão valiosas na sua vida como deveriam ser? Se você não tem prazer nas coisas de Deus algo está errado em sua vida, pois a alma crente suspira pelas coisas de Deus como nos é revelado no Salmo 42.1: “Como suspira a corça pelas correntes da aguas, assim, por ti, ó Deus suspira a minha alma”.
   O pecado na vida do crente fá-lo perder o apetite pelas coisas de Deus, e o interesse por elas. Em contrapartida a essa falta de interesse começa a surgir no coração crente interesse pelas coisas deste mundo.
    Confessemos a Deus o nosso pecado de negligência e peçamos a Ele que nos conceda alegria e satisfação de sermos crentes em Cristo. AMÉM!
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti