ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

25-Risolene Fernandes

26-Jaciara Araújo

27-Valdilene Régis

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Presb. José Diniz (Diniz, Lúcia, Laércia, Laélia, Og, Makobi e Nícolas). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

Empresta-se a Deus?

 

       Pensava eu que “quem dá aos pobres empresta a Deus” era um ditado popular. Lendo as Escrituras descobri que essa máxima não é um ditado popular e sim uma palavra inspirada por Deus. ”Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício” Pv 19.17.
      Refletindo sobre a soberania de Deus, a luz da Bíblia Sagrada, podemos constatar que Deus graciosamente concedeu bens para que o homem vivesse a sua vida na face da terra. “... O homem não pode receber coisa alguma, se lhe não for dada do céu”. A uns Deus deu muito e à outros pouco. “O rico e o pobre se encontraram; a todos fez o Senhor” Pv 22.2.
      Falando sobre quem tem e quem não tem ou quem tem muito ou quem tem pouco, temos a dizer que a existência do pobre no mundo é uma oportunidade que o Criador está dando a quem Ele deu recursos, para exercer o ministério da misericórdia, ou seja, para compartilhar com quem não tem os recursos que Deus graciosamente lhe deu.
      A Bíblia ainda nos revela que tudo a Deus pertence. “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas;...” Rm 11.36.  Nada é do homem, tudo é de Deus. Somos apenas mordomo daquilo que é de Deus durante o tempo da nossa existência na face da terra. Por essa mordomia iremos prestar contas a Deus no dia do Juízo final.
      No Antigo Testamento o interesse de Deus pelos pobres é revelado através do mandamento a seguir identificado. “Quando também segardes a sega da vossa terra, o canto do teu campo  não segarás totalmente, nem   as espigas caídas colherás da tua sega. Semelhantemente não rabiscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua vinha; deixá-los-ás ao pobre e ao estrangeiro. Eu sou o Senhor, vosso Deus” Lv 19.9,10. (Veja ainda Lv 23.22; Ex 23.11; Dt 15.9-11).
     Na Nova Aliança o bondoso Deus não deixou esquecido esse assunto, muito pelo contrário, o tornou mais claro e incisivo, pois instituiu na Igreja um ministério só para cuidar dessa área, que é o ministério diaconal. “Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio” At 6.3.
     É-nos dito ainda no Novo Testamento sobre o assunto, o que se segue: “Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade” Rm 12.13.  “E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada” Hb 13.16. “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” Gl 6.10. Observem que no texto de Gálatas a prioridade da assistência social da Igreja é os irmãos em Cristo.
    Há na Palavra de Deus uma promessa divina de que aquilo que nós damos aos pobres será retribuído por Deus. ”Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício” Pv 19.17. Ainda outras promessas nessa área são encontradas no Salmo 41.1-3, que diz: “Bem-aventurado é aquele que atende ao pobre; o Senhor o livrará no dia do mal. O Senhor o livrará e o conservará em vida; será abençoado na terra, e tu não o entregarás à vontade de seus inimigos. O Senhor o sustentará no leito da enfermidade; tu renovas a sua cama na doença”.
    Assim sendo, conclamamos a todos os membros e congregados da nossa Igreja a se envolverem com esse ministério que tanto agrada a Deus, como é dito em Hb 13.16, sendo um mantenedor mensal do Departamento de Beneficência e orando para que Deus nos dê sempre superabundância de recursos para essa obra.                         
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti