ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

17-Jair Costa (J. Américo)

18-Emília Lopes (E. Sátiro)

19-Enoque Monteiro

20-Ana Gabrielly (E. Sátiro)

20-Djanilson Rodrigues

23-Pb. Valdenor Torres

CESTA DO AMOR: Colabore com a Cesta do Amor trazendo um quilo de alimento não perecível (feijão, arroz, macarrão, fubá, etc). Esses mantimentos comporão as cestas básicas para distribuição aos que estão enfrentando necessidades dentro e fora da nossa Igreja.  A beneficência é um dos ministérios da Igreja, e tem o agrado de Deus (Leia Hb 13.16).

Tamanho da letra:

Celebrando a Deus de forma organizada

 

O homem foi criado por Deus para viver para a Sua glória e para o Seu louvor. Para que isso fosse possível Deus fez o homem conforme a Sua imagem e semelhança, para que ele pudesse se relacionar com a Deidade de uma forma cultual, que Lhe fosse agradável.

Com a entrada do pecado no mundo, a Imago Dei (imagem de Deus) no homem foi deteriorada, mas não destruída totalmente. É por isso que vemos na História, as manifestações cultuais do homem em todas as culturas mesmo que, na grande maioria dos casos, equivocadas.

Graciosamente, Deus em Cristo está reconstruindo no homem crente essa imagem, até chegar a sua plenitude, para que o homem possa fazer aquilo para o qual foi criado, viver para a glória de Deus.

Quando se estar em Cristo, ou seja, nascido de novo, é que se tem condições de se viver para a glória de Deus e, consequentemente, de ser um adorador, que adora a Deus em espírito e em verdade.

O homem crente foi chamado por Deus para ser, antes de tudo, um adorador. Também é propósito do Senhor que os adoradores individuais se juntem e se organizem em Igreja, para que o propósito primeiro do Seu programa, que é a adoração (os outros são: edificação, proclamação e beneficência), seja realizado de forma comunitária.

Dentro das comunidades locais, é da intenção de Deus que aqueles a quem Ele deu dons específicos (vocalistas e instrumentistas) se organizem para que, de forma harmoniosa (conjuntos musicais e instrumentais) seja o nome do Senhor celebrado através de cânticos.

A organização de conjuntos musicais e instrumentais remonta a época do Rei Davi, que era poeta, instrumentista e cantor. Davi, pela orientação do Espírito, entendeu que o grande Deus não só deveria ser celebrado por solistas, mas também por conjuntos organizados. Ainda pelo Espírito, Davi escolheu três homens extremamente capacitados nessa área: Hemã, Jedutum e Asafe. Esses homens eram levitas e tiveram o privilegio de ter os seus filhos envolvidos nesse grandioso ministério, de celebrar ao Senhor com cânticos acompanhados de instrumentos. “E Davi, juntamente com os capitães do exército, separou para o ministério os filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedutum, para profetizarem com harpas, e com alaúdes, e com saltérios;...” 1 Cr 25.1. “Todos estes estavam ao lado de seu pai para o canto da Casa do Senhor, com saltérios, e alaúdes e harpas, para o ministério da Casa de Deus; e, ao lado do rei, Asafe, e Jedutum, e Hemã” 1 Cr 25.6.

Antes da época de Davi, encontramos na Bíblia a primeira manifestação de louvor a Deus por um grupo de pessoas, que foi a feita por Miriam, irmã de Moisés, que juntou algumas mulheres e com tamboris e cânticos louvou a Deus pela vitória dada a Israel, após a passagem do Mar Vermelho.

Um dos nossos conjuntos, o Getsêmani, está hoje celebrando ao Senhor pela sua organização que aconteceu há dois anos. Esse conjunto é liderado pelo irmão André Fragoso.

O Getsêmani tem sido uma benção no ministério da III IEC/JPA, e tem sempre se apresentado na casa do Senhor, conforme escala do Departamento de Louvor, com qualidade. Não temos dúvidas de que Deus tem sido glorificado e a Igreja edificada com as apresentações desse conjunto.

Parabenizamos ao Getsêmani e rogamos sobre ele as inumeráveis bênçãos de Deus.

Pr. Eudes Lopes Cavalcanti