ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

16-Dc. José Marçal Jr.

19-Sara Mizraim

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Diácono João Bosco (Bosco, Socorro, Jonas e Joanne). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

Submissão à autoridade, um princípio divino

 

A Bíblia Sagrada nos revela um triste episódio na vida do povo de Deus quando estava a caminho de Canaã. Três pessoas se coligaram e arrebanharam um grupo de duzentos e cinquenta homens para desestabilizar o ministério sacerdotal, privativo a Arão e a seus filhos conforme determinação de Deus, alegando eles que todo o povo de Deus era santo e que não precisava da intermediação dos sacerdotes no oferecimento de sacrifícios ao Senhor, questionando assim a competência medianeira do sacerdócio arônico. Esses indivíduos chamavam-se Coré, Datâ e Abirão, o primeiro da tribo de Levi (um levita descontente por não ser sacerdote) e os outros dois da tribo de Rubem. Moisés o grande líder que Deus levantara para tirar o povo de Israel da escravidão do Egito e levá-lo a terra da promessa enfrentou aqueles homens perversos e pediu a Deus que os punisse, o que de fato aconteceu. A Bíblia diz que a terra onde estavam instaladas as suas tendas se abriu e eles foram engolidos vivos por ela junto com os seus familiares. Diz ainda a Palavra de Deus que os duzentos e cinquenta homens que comungavam com os três lideres rebeldes foram punidos por Deus e consumidos por fogo que desceu do Céu. A situação agravou-se, porque o povo de Israel ficou indignado contra Moisés pensando que fora ele a causa dos problemas que estavam acontecendo, e do consequente juízo de Deus. O resultado dessa insubmissão foi que foram mortas 14.700 pessoas. (Leia a história completa nos capítulos 16 e 17 de Números).

Para causa do pecado do homem, e do seu consequente espírito insubmisso Deus instituiu o princípio da autoridade para um bom ordenamento social. Imaginem os irmãos se não houvesse, por exemplo, força policial no mundo. Que caos não seria! Imaginem se não houvesse sinal e guardas de trânsito. Que pandemônio não seria!

O principio da submissão à autoridade encontra-se em Romanos 13.1-7. “Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação...” Rm 13.1-7.

Dentro de sua Igreja, o Senhor também estabeleceu autoridades em diversos níveis (A assembleia de membros, o pastorado, o oficialato, os diretores de Departamentos, os dirigentes de derivações da Igreja, etc). Todas as pessoas que foram escolhidas por Deus, eleitas pela assembleia de membros e empossadas estão revestidas de autoridade vinda de Deus. O princípio da autoridade na Igreja tem a sua gradação. Começa com a assembleia de membros seguida pelo Pastor Titular depois vem o conselho eclesiástico, os departamentos e assim por diante. Cada um sendo submisso ao outro que vem imediatamente antes dele, e todos submissos a Deus que através de sua Palavra e do seu Espirito governa a Igreja. O Senhor determinou que fosse assim porque, por natureza, a sua Igreja é uma comunidade ordeira onde a submissão é uma das marcas. “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus” Ef 5.21. “Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes” 1 Pe 5.5.. “Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma,...” Hb 13.17.

O crente não deve ser insubmisso, pois isso é pecado, porque se for assim ele está ferindo um princípio estabelecido por Deus em Sua Palavra. No texto de Romanos citado se nos diz que quem resiste à autoridade resiste a uma ordenação de Deus.

O crente também não deve falar mal das autoridades da Igreja, pois Deus disse: “Não toqueis nos meus ungidos e não maltrateis os meus profetas” Sl 105.15.

Segundo a Bíblia as autoridades devem ser reverenciadas e obedecidas. Observem o caso de Sara esposa de Abraão, que o chamava de senhor. Aquela mulher de Deus sabia que o seu marido era a autoridade estabelecida por Deus no seu lar. 

Pr. Eudes Lopes Cavalcanti