ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

20-Otília de Araújo

20-Ednaldo Soares

21-Karina Ribeiro (E. Satiro)

24- Pr. Jedaías Rodrigues

25-Juzirene Santiago (E. Sátiro)

ANIVERSÁRIO DA ALIANÇA: No próximo sábado, dia 25/08, a partir das 18h, teremos no templo do Betel Brasileiro, no Alto do Mateus, o culto de celebração ao Senhor pelos 51 anos de organização de nossa Denominação (Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil). Os cultos distritais já foram realizados e esse do dia 25 é a comemoração nacional. Sairá um ônibus de nossa Igreja às 17.30h para levar os irmãos para participarem dessa festividade. Leve R$ 5,00 para ajudar pagar o aluguel do ônibus.

Tamanho da letra:

Preparados para adorar melhor

 

Em duas ocasiões, no livro de Salmos, o salmista Davi inspirado pelo Espírito Santo disse que preparado estava o seu coração para salmodiar e cantar louvores a Deus. “Preparado está o meu coração, ó Deus, preparado está o meu coração; cantarei e salmodiarei” Sl 57.7. “Preparado está o meu coração, ó Deus; cantarei e salmodiarei com toda a minha alma” Sl 108.1. Observem que na primeira ocasião o salmista disse duas vezes que o seu coração estava preparado para louvar a Deus e na segunda ocasião ele disse que pelo fato de estar preparado o seu coração poderia adorar a Deus com toda a intensidade, com todo o seu ser.

Em outra ocasião o salmista novamente inspirado por Deus exortou aos cantores que cantassem e tocassem bem. “Louvai ao Senhor com harpa, cantai a ele com saltério de dez cordas. Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo” Sl 33.2,3.

Quando Davi organizou os conjuntos musicais para cultuarem a Deus os entregou nas mãos de pessoas especialmente preparadas (Asafe, Jedutum e Hemã), com dons de Deus, para instruir os componentes dos conjuntos a fim de celebrarem a Deus da melhor forma possível, e o resultado dos esforços desses homens foram conjuntos bem organizados que louvavam a Deus nos cultos celebrados pelos israelitas. “E era o número deles, juntamente com seus irmãos instruídos no canto do Senhor, todos eles mestres, duzentos e oitenta e oito” 1 Cr 25.7.

Observem os irmãos, especialmente aqueles que labutam nesse ministério, que não era de qualquer maneira que se devia celebrar ao Senhor.

Nos textos citados podemos observar duas coisas preciosas para quem quer servir a Deus de uma maneira que lhe seja agradável. A primeira delas é a questão do coração, pois tudo o que se deve fazer para Deus deve ser feito de todo o coração. Quando se fala nesse assunto tem que se levar em consideração a questão da santidade. É necessário que todos aqueles que servem a Deus, que professam o nome de Jesus apartem-se da impiedade. “Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade” 2 Tm 2.19. A outra coisa a considerar é a questão do preparar-se bem tecnicamente, pois o que deve ser apresentado a Deus deve ser bem feito. Isto serve para quem prega, para quem canta, para quem toca, para quem faz qualquer outra coisa para Deus. Fazer as coisas para Deus de qualquer maneira, sem um preparo adequado, é incorrer no juízo do texto de Jeremias 48.10, que diz: “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente!...”.

Em diversas ocasiões na Bíblia encontramos situações que nos mostram que o que deve ser oferecido a Deus deve ser o melhor. Por exemplo: o cordeiro que seria oferecido a Deus na festa da Páscoa teria que ser sem defeitos. Deus não aceitaria um sacrifício de um animal cego, sarnento, aleijado, etc. Outro exemplo foi a confecção do tabernáculo. Tudo naquela obra teria que ser bem feito, sob medida, com materiais especiais, etc. Por que essa exigência? A razão é simples: Deus é perfeito, puro, santo e tudo o que deve ser apresentado a ele deve ser da melhor qualidade.

Estamos celebrando ao Senhor neste domingo pelo aniversário do Conjunto Ebenézer. Esse Conjunto tem sido um exemplo para os demais grupos da Igreja no que se refere a sua dedicação ao grandioso ministério de louvar a Deus. Todos de nossa Igreja são testemunhas da postura do Ebenézer em se preparar com esmero para bem servir ao Senhor, e por causa disso os louvores ministrados por esse Conjunto têm sido misturados com a bênção do Espírito, por isso tem agradado a Deus e a Igreja.

Pr. Eudes Lopes Cavalcanti