ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

22-José Francisco

23-João Neto

25-Iza Maria

25-Uziel Ferreira (E. Sátiro)

26-Larissa Lopes

26-Mariana Batista (filha/Larissa)

26-Massius Lopes

LEMBRANDO:

1)    A Escola Bíblica Dominical (temos classe para todos os segmentos de pessoas)

2)    O culto de oração e estudo bíblico nas terças-feiras, e o culto de oração da quarta-feira (Circulo Oração)

3)    O dízimo do Senhor para mantimento de sua obra através do ministério da III IEC/JPA

MANHÃ DE JEJUM E ORAÇÃO: no dia 01/05, feriado nacional, teremos uma manhã de Jejum e Oração. Como o feriado será numa terça-feira não haverá culto de oração à noite, pois o culto de oração será realizado na manhã de jejum e oração. Aproveite aquela Manhã de Jejum e Oração para subir a casa do Senhor para buscar a Sua face.

Tamanho da letra:

O Cristão e o Compromisso com a Bíblia Sagrada

 
Introdução:
Deus no seu plano eterno escolheu um povo em Jesus Cristo que é a Sua Igreja. Essa escolha foi um ato soberano da graça de Deus, independente de fé ou qualquer outra coisa prevista (Sl 100.3; Jo 15.16). Para nortear o viver desse povo Deus revelou a Sua natureza, o Seu caráter, os Seus atributos e a Sua vontade. Essa revelação, chamada de Revelação Especial, encontra-se nas Sagradas Escrituras. As Sagradas Escrituras é um dos grandes tesouros que Deus entregou à Igreja, e, como crentes em Cristo, temos um padrão estabelecido por Deus em Sua Palavra para seguir. Este artigo tem o objetivo de fazer o crente compreender a importância das Escrituras e o compromisso que ele tem com ela.
I – As Sagradas Escrituras
As Sagradas Escrituras ou as Escrituras ou ainda a Bíblia Sagrada é o conjunto de sessenta e seis livros, inspirados por Deus, verbal e plenariamente, e única regra de fé e prática do cristão (2 Tm 3.16,17; 2 Pe 1.19-21). Esse documento sagrado revela o ser de Deus, o Seu caráter, os Seus atributos e a Sua vontade para as Suas criaturas morais (os seres humanos). A revelação divina nas Escrituras foi feita paulatinamente num espaço de 16 séculos, usando Deus aproximadamente quarenta escritores, desde Moisés até João Evangelista. A primeira parte dessa maravilhosa revelação compreende os escritos do antigo Testamento (trinta e nove livros), assim classificados: o Pentateuco (cinco livros – Gênesis a Deuteronômio), os Livros Históricos (doze livros – Josué a Ester), os Livros Poéticos (cinco livros – Jó a Eclesiastes) e os Livros Proféticos (dezessete livros, sendo cinco Profetas Maiores – Isaías a Daniel e doze Profetas Menores – Oséias a Malaquias). A segunda parte dessa revelação é chamada de Novo Testamento, tendo os seus livros assim classificado: Os Evangelhos (quatro livros – Mateus a João), o Livro Histórico (um livro – Atos dos Apóstolos), as Cartas Paulinas (treze livros – Romanos a Filemom), a Epístola aos Hebreus (um livro), as Cartas Gerais (sete livros – Tiago a Judas) e o livro da Revelação (um livro - Apocalipse). Convém esclarecer que a Revelação Especial cessou quando o Cânon Bíblico foi completado com o livro de Apocalipse, nada podendo ser acrescentado ou tirado dele (Dt 4.2; 12.32; Ap 22.18,19). 
É de suma importância que o cristão compreenda que a Bíblia é a Santa Palavra de Deus e que tudo que Deus queria que conhecêssemos acerca d’Ele está revelado em Sua Palavra (Is 34.16; Lc 16.29; Jo 5.39). 
II – O Compromisso do Cristão de Ler e Estudar a Bíblia
Deus na sua providência fez com que a sua Palavra fosse registrada em livros possibilitando assim a sua leitura por parte dos seres humanos. “Moisés escreveu todas as palavras do Senhor,...” Ex 24.4. “E Josué escreveu estas palavras no livro da Lei de Deus...” Js 24.26. “Assim diz o Senhor Deus de Israel: Escreve num livro todas as palavras que te tenho falado” Jr 30.2. “... o que vês, escreve-o num livro, envia-o às sete Igrejas...” Ap 1.11 (...).
Ainda Deus na Sua graça e providência fez com a Sua Palavra ficasse disponível em nossa Pátria de tal maneira que todos os brasileiros podem, se quiserem, ter um exemplar da Bíblia Sagrada.
Essa disponibilidade torna o crente mais responsável diante de Deus. A Bíblia nos foi dada para ser lida e estudada. No livro de Apocalipse há uma bem-aventurança para quem ouve, lê e obedece a Palavra de Deus (Ap 1.3). O Senhor Jesus disse aos seus contemporâneos que examinassem as Escrituras porque elas testificam d’Ele e possibilita aos que cressem, a vida eterna (Jo 5.39). Paulo orientou a Timóteo que persistisse na leitura (1 Tm 4.13).
A outra questão é que precisamos estudar as Sagradas Escrituras. Estudar á algo mais profundo do que a simples leitura. É investigar, compreender o que Deus diz em sua Palavra. É comparar Escritura com Escritura para compreensão de todo o conselho de Deus. Os crentes bereanos foram elogiados por Deus, através de Paulo, porque eles estudavam as Sagradas Escrituras. “Ora, estes (os bereanos) foram mais nobres do que os de Tessalônica, pois de bom grado receberam a Palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim” At 17.11.
Para fortalecer essa área do aprendizado, Deus na Sua providência levou a Igreja a realizar dois cultos para essa finalidade: o culto doutrinário e o culto da Escola Bíblica Dominical, através dos quais o estudo da Palavra de Deus é feito de forma sistematizada (Ne 8.1-8; At 20.7-12). 
III – O Compromisso do Cristão em obedecer ao que a Bíblia revela
É dever de todos os cristãos obedecer aos santos mandamentos do Senhor, ou seja, fazer a vontade de Deus revelada na Bíblia Sagrada. “Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; medite nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo o que nele está escrito. Então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido” Js 1.8. “Porém Samuel respondeu: tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça à sua palavra? Obedecer é melhor do que sacrificar e, atender melhor é do que a gordura de carneiros” 1 Sm 15.22 (Ver ainda Sl 119.9,10). 
Agora, um cuidado se deve ter nesta questão da obediência aos ensinamentos bíblicos. Lembremo-nos de que a revelação divina foi progressiva e em alguns casos foi dada ao povo de Israel no passado, e que não é obrigatória para a Igreja. Por exemplo, a Lei Cerimonial que se compunha de festividades, sacrifícios de animais e outras oferendas a Deus na velha dispensação e que já cumpriu o seu papel histórico não é obrigatória para o viver do cristão (Hb 8.13; 10.1-4). Outro exemplo é a guarda do sábado. Os cristãos não são obrigados a guardar o sábado judaico, o dia de descanso. Jesus com a Sua divina autoridade alterou o dia de descanso do sábado judeu para o domingo cristão, o primeiro dia da semana quando celebramos a Sua gloriosa ressurreição (Mc 16.1-8; Jo 20.19; 1 Co 16.1,2). A título de esclarecimento: O Senhor Jesus não alterou o princípio eterno do mandamento divino que manda que seja guardado o Sabat, pois com a mudança do sábado judaico para o domingo cristão ficou preservado o princípio eterno de ser reservado pelo homem um dia semanal para descanso e adoração.
A regra básica para uma interpretação correta da Bíblia é que o ensinamento bíblico do Antigo Testamento para serem observados pela Igreja deve ter a chancela ou terem sido corroborados pelos do Novo Testamento, pelos ensinamentos de nosso Senhor Jesus Cristo e dos seus Apóstolos. 
O cristão tem o sagrado compromisso de fazer a vontade do seu Deus e Senhor, revelada nos Evangelhos e nos outros escritos do Novo Testamento. “Vós sereis meus amigos se fizerdes o que vos mando”. Disse assim o Senhor Jesus: “Agora que sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes” Jo 13.17. O apóstolo João disse sobre o assunto: “... mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” 1 Jo 2.17.
IV – O compromisso do Cristão em divulgar o que a Bíblia Revela
Conhecendo o plano de Deus, o cristão tem o compromisso de divulgá-lo para aquelas pessoas que não O conhece ainda. Na carta de Pedro (1 Pe 2.9), a Igreja é identificada com os qualificativos de geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus. O apóstolo Pedro qualifica a Igreja e a motiva com isso, para quê? A resposta vem no restante do texto: “Para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. O cristão tem um grande compromisso diante de Deus de se engajar na grandiosa obra de ensinar, de divulgar o plano redentor de Deus através do Senhor Jesus Cristo. “Portanto, ide fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho mandando...” Mt 28.19,20.
A grande mensagem redentora, revelada na Bíblia Sagrada deve ser proclamada a todas as pessoas e no mundo inteiro e essa proclamação é compromisso de todos os cristãos. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura...” Mc 16.15 (Veja ainda Lc 24.47; At 1.8; 1 Co 9.16; Sl 96.3;...). Esse compromisso do cristão com a proclamação do Evangelho, pode ser desincumbido orando, contribuindo e indo.
Ainda, a revelação bíblica sobre o ser de Deus, Seus atributos, Seu caráter e Sua vontade deve ser ensinada pelos crentes àqueles que ainda não temem ao Senhor nem O glorificam.
É bem verdade que Deus levanta na Igreja pessoas específicas para essa obra (Pastores, Evangelistas e Mestres), Mas isso não exime a responsabilidade de todos os crentes em Cristo de se engajarem na grande obra de divulgação da mensagem bíblica (1 Co 9.16), conforme os textos acima.
Conclusão
Vimos neste artigo que a Bíblia é a Santa Palavra de Deus, inspirada verba e plenariamente. Vimos ainda que o cristão tem um sério compromisso com as Sagradas Escrituras devendo lê-la, estudá-la, guardar os seus ensinamentos e propagar a sua mensagem.
Para que o compromisso do cristão com a Bíblia seja cumprido plenamente existe um preço a pagar. Faz-se necessário que o mesmo reconheça o valor da Palavra de Deus, dedique tempo para lê-la cuidadosamente, estudá-la em casa ou na Igreja, guardá-la no coração e que se envolva na propagação dessa mensagem.
Assim fazendo o crente gozará de paz abundante e sua consciência ficará tranqüila pelo dever cumprido.
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti