ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

14-Avani Dantas

15-Luiza dos Santos

17-Tiago de Andrade (filho/Vera)

19-Yan Ferreira (E. Sátiro)

20-Dc. Josias Batista

21-Rivanda Belmont

22-Isabel Cristina

CULTO COMEMORATIVO: no domingo 28/10, pela manhã, teremos um culto comemorativo da Reforma Protestante. A reflexão bíblica de 15 a 20 minutos será feita pelo Dc. Josias conforme escala de outubro. Em seguida, o pastor da Igreja fará uma exposição sobre esse fato histórico.

Tamanho da letra:

O que é mais importante?

 
Já ouvi de alguns pastores que a família é mais importante do que a igreja. E um dos argumentos para essa declaração é que a família existe antes da igreja. Segundo eles a família começa no Édem e a igreja no Dia de Pentecostes.
A declaração acima não é correta à luz das Sagradas Escrituras e pode levar o ouvinte a colocar a igreja do Senhor num segundo plano, num lugar onde não deve estar, senão vejamos:
A igreja do Senhor não passou a existir no Dia de Pentecostes com a descida do Espírito Santo sobre aqueles cento e vinte irmãos do passado. A existência da igreja do Senhor é desde a eternidade, conforme a Bíblia revela: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade” Ef 1.4,5. As Escrituras dizem ainda que o Cordeiro de Deus, o Salvador da igreja, no programa redentor, já fora considerado como morto antes da fundação do mundo, ou seja, antes da existência da família (Ap 13.8). Na história, antes do Pentecostes, a igreja existia de forma velada, embrionária, mas existia. Os salvos antes da manifestação histórica da igreja (Adão e Eva, Abel, Sete, Enos, Enoque, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, e tantos outros) já faziam parte da igreja na sua expressão universal ou invisível. 
A igreja é o grande projeto de Deus desde a eternidade, revelado em Sua Santa Palavra. A Bíblia diz que ela é a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus. Por ela o Filho de Deus veio a este mundo e morreu na cruz do Calvário para redimi-la. Ela é a menina dos olhos de Deus. De todas as coisas do universo nada é mais importante para Deus do que a sua igreja, a qual o seu Filho resgatou com o seu próprio sangue (Veja At 20.28). Para ela Deus preparou desde a eternidade as coisas mais gloriosas que existe. Ela é agora a noiva do Cordeiro, mas depois do Arrebatamento, será a sua esposa amada.
Quanto à família, ela é uma instituição divina porque foi Deus quem a instituiu, mas é terrena. Através da família o Deus eterno dá continuidade ao seu programa redentor. É uma experiência para o homem na face da terra. A família desfaz-se para o indivíduo quando da ocorrência de sua morte e, consequentemente, desfazem-se todos os seus laços familiares. O Salvador disse que lá no Céu não se casam nem se dão em casamento, as pessoas redimidas serão parecidas com os anjos de Deus. 
Em algum momento do seu ministério, o Salvador deparou-se com a questão de quem era mais importante aos olhos de Deus, a família ou a igreja. O episódio deu-se quando Ele estava ministrando sobre o reino dos Céus, e sua mãe, e irmãos vieram falar com ele. Devido o recado de alguém que os seus familiares estavam ali e queriam falar com Ele, Jesus deu-lhe a seguinte resposta: “... Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos; Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe” Mt 12.48-50.
Queridos, amemos a nossa família e a valorizemos até onde pudermos valorizá-la, mas saibamos que a igreja do Senhor é mais importante do que ela, e por isso tem prioridade sobre a mesma em quaisquer circunstâncias. 
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti