ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

21-Rivanda Belmont

22-Isabel Cristina

24-Celeida Maria

25-Verônica Carlos

27-Severino Rafael (R. do Sol)

27-Edileuza Marcolino (E. Sátiro)

 

INTERCÂMBIO MOCIDADES (27/10): no próximo sábado, haverá em nosso templo o intercâmbio de nossa mocidade com a mocidade da Igreja Batista de Itapororoca/PB. Já houve um intercambio nosso com aquela igreja em Itapororoca, e no sábado em questão haverá a reciprocidade. A programação do culto é de responsabilidade da IB/IOO. Toda a Igreja está convidada para prestigiar esse evento.

CULTO COMEMORATIVO: no próximo domingo à noite teremos um culto comemorativo da Reforma Protestante. O pastor da Igreja irá pregar sobre os pontos teológicos da Reforma Protestante - os cinco Solas. Na introdução da mensagem o Pr. Eudes fará uma panorâmica sobre esse fato histórico.

Tamanho da letra:

Usos e Costumes

 

O crente em Cristo é uma nova criatura, foi transformado pela graça de Deus, nasceu de novo, do Espírito Santo e tem no seu coração o desejo de viver para a glória de Deus. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” 2 Coríntios 5.17.
Deus revelou a sua vontade para o crente também em relação na sua maneira de viver neste mundo, estabelecendo assim um padrão para ele. Esse padrão sendo estabelecido por Deus não pode mudar com o passar dos anos e não se adapta a evolução do mundo que, segundo a Bíblia, jaz no maligno. Cabe a nós humildemente se conformar com esse padrão, pois é a vontade de nosso Deus para nós. Esse padrão ou modelo contempla muitas coisas do cotidiano de nossas vidas, tais como: o falar, o vestir, o se conduzir, etc.
Essa reflexão visa enfocar o padrão estabelecido por Deus na área da indumentária ou da vestimenta dos crentes, pois temos observado que há muito desmantelo nessa área principalmente no meio das irmãs, especialmente das mais novas que são mais suscetíveis de seguir o curso deste mundo.
Tratando-se de nossa Igreja a coisa não é muito diferente da maioria das Igrejas de nossa Capital e isso nos preocupa como Pastor, responsável que somos diante de Deus por esse rebanho, pois a nós compete a tarefa de ensinar aquilo que agrada a Deus e aquilo que lhe desagrada.
Assim sendo, vejamos o que a Bíblia diz sobre o assunto: “Da mesma forma, quero que as mulheres se vistam modestamente, com decência e discrição, não se adornando com tranças e com ouro, nem com pérolas ou com roupas caras” 1 Timóteo 2.9. É verdade que a Palavra de Deus não estabelece o tamanho das vestes das mulheres, nem as cores, nem tampouco o modelo que elas devem usar. Ela estabelece um princípio muito importante que é o da modéstia, decência e discrição no vestir. Isto quer dizer que a veste de uma mulher crente, seja ela de que idade for, deve ser uma veste discreta, composta, descente que cubra bem o seu corpo, que não seja transparente que possa trazer uma conotação sensual, e que não ostente a vaidade.
No Antigo Testamento havia uma recomendação para que a mulher não vestisse roupa de homem nem que o homem vestisse roupa de mulher, lembrando Deus aos judeus o princípio da diferenciação entre os sexos. Para o Novo Testamento o princípio estabelecido por Deus é o que citamos no parágrafo anterior que é o reflexo da graça divina no coração da crente, conforme encontramos em 1 Pedro 3.3-5.
Tratando-se de mulheres crentes usando calça comprida, é conveniente que a mesma não seja ligada ao corpo para não trazer uma conotação sensual, isso também serve para bermudas. Diante do exposto, pedimos aos pais que tenham cuidado com as vestes de suas filhas pequenas. Lembremo-nos de que enquanto é tempo podemos influenciar nessa área. Às moças pedimos um cuidado especial nesse assunto, que evitem usar na Igreja e fora dela roupas que destilem sensualidade, lembrando de que são servas de Deus. Para as mulheres casadas à recomendação é mais forte ainda, devido ser elas exemplo para as mais novas. Pedimos aos maridos que ajudem suas mulheres nessa área e aconselhem se for necessário. Se fizermos isso resolveremos um problema que a Igreja enfrenta e Deus se agradará de nós.