ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

09-José Afonso (E. Sátiro)

10-Neusa de Moura

12-Edvando Bonifácio (Dc. R. do Sol)

14-Mª Teodória

15-Mª Eliane

Reuniões administrativas final de ano

13/12 – Reunião do Conselho Eclesiástico;

21/12 – Confecção Calendário 2019;

23/12 (M) - Assembleia da Igreja (homologação diretorias, recepção membros e separação para o oficialato )  

 

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO: o nosso jantar de confraternização será no dia 31/12, logo após o culto de final de ano. O culto será no horário das 21 às 23h, seguindo-se o jantar, que será no estilo americano. O Pb. Evandro José será o coordenador desse evento.

Tamanho da letra:

Realizando os sonhos de Deus

Tive o privilegio de ministrar no encerramento do Retiro Espiritual de nossa Igreja na terça feira pela manhã. O tema geral do Retiro foi “Renunciando os meus sonhos para realizar os teus, Senhor”. Falei aos presentes sobre Moisés como exemplo de renúncia. Falei sobre as três fases de sua vida (quarenta anos no Egito, quarenta anos no deserto de Midiã e quarenta anos conduzindo o povo de Deus para Canaã) e do ato de renúncia que ele fez num determinado momento de sua vida, deixando de lado os seus sonhos para realizar os sonhos de Deus. “Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa” Hb 11.24-26.
Olhando para a vida de Moisés observamos que foi grande o seu ato de renúncia (renunciou a filiação adotiva da filha de Faraó, as invejáveis posições social, política e financeira no Egito, os aplausos, a glória humana, etc) para que os sonhos de Deus fossem realizados em sua vida. Observe que foi um ato de coragem e de fé o de Moises. Deixar uma vida de bonança, de fartura, de ascendência política, preferindo uma vida de privações, de dificuldades, de lutas, guiando o povo de Deus por um caminho cheio de lutas e de dificuldades até a terra que o Senhor prometera a Abraão, isto por um espaço de quarenta anos. 
Moisés sonhando os sonhos de Deus realizou uma obra extraordinária que está registrada nos anais da história sagrada. Foi ele quem libertou o povo de Deus da escravidão egípcia, quem organizou a nação de Israel que até então existia no formato de famílias tribais. Organizou o exército israelita para lutar as batalhas do Senhor. Construiu o santuário móvel, instituiu o sacerdócio, entregou a Lei que iria nortear o viver do povo de Deus, operou diversos milagres pelo poder de Deus, e levou o povo até as portas de Canaã. Isso tudo foi possível porque aquele homem ousou renunciar os seus sonhos e sonhar os sonhos de Deus para a sua vida. 
Para que fosse possível realizar os sonhos de Deus através de sua vida, Moisés pode contar com algumas coisas preciosas que são comuns àqueles que renunciam os seus sonhos para realizar os sonhos de Deus, senão vejamos:
1) Moisés contou com o poder de Deus na sua vida; 2) Moisés contou com a presença de Deus na sua vida; 3) Moisés contou com a direção de Deus nas suas realizações; 4) Moisés contou com a provisão de Deus; 5) Moisés contou com a colaboração de homens levantados por Deus para ajudá-lo em seu ministério.
Amados, quando nos dispusermos a renunciar os nossos sonhos para realizar os sonhos de Deus, as bênçãos que acompanharam Moisés com certeza nos acompanharão também. 
As Escrituras nos revelam que fomos comissionados por Deus para darmos frutos, para sermos produtivos. Esse é um dos grandes sonhos de Deus para o seu povo. “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça...” Jo 15.16.
Para que realizemos os sonhos de Deus produzindo os frutos desejados por Ele faz-se necessário que morramos para o pecado e vivamos para Deus. “Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto. Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem, neste mundo, aborrece a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna” Jo 12.24,25.
Pr. Eudes L. Cavalcanti