ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

12-Antônia de Lima

14-Elizabete Gomes (E. Satiro)

15-Severina Ferreira

15-Paula Francinett

16-Dc. Murilo Pedro

GRATIDÃO A DEUS PELOS PAIS DA IGREJA: agradecemos a Deus pela vida dos pais que fazem o ministério da III IEC/JPA. Louvamos a Deus pelo privilégio dado a eles de serem pais. Sabemos da grande responsabilidade deles diante de Deus, de criarem os seus filhos nos caminhos do Senhor, e para isso pedimos a graça divina. Rogamos sobre os pais uma benção especial de Deus neste dia, bem como durante a vida deles. Assim seja!

Tamanho da letra:

Aprendendo com um cão?

 

Deus em sua maneira de falar com o ser humano tem usado métodos diversos (Sl 19.1; Hb 1.1). O meio inigualável de Deus falar ao seu povo é através de sua Palavra, que em tudo tem a primazia. Mas não podemos negar que quando nos tornamos surdos para ouvir a Sua palavra Ele usa as coisas da natureza para reforçar o que está nas Escrituras, para exortar o seu povo, senão vejamos: para repreender a insensatez de um profeta o Senhor usou uma burra que falou como se um ser humano fosse (Nm 22.28). Para advertir aos preguiçosos o Senhor mandou que eles fossem e aprendessem com as formigas a trabalhar para ganhar o pão de cada dia (Pv 6.6). Para advertir a insensatez do povo de Israel, na época do profeta Isaias, o Senhor usou o boi e o jumento como exemplos que deveria ser seguido, no caso do conhecimento do seu possuidor (Is 1.3). O Senhor Jesus mandou que olhássemos para as aves dos céus e os lírios do campo e aprendêssemos a confiar nas provisões de Deus (Mt 6.26,28).

Numa de nossas congregações está acontecendo algo interessante que talvez seja Deus tentando dizer alguma coisa ao seu povo mui especialmente aos que fazem parte deste ministério. O acontecimento naquela congregação que inclusive já foi noticiado numa estação de televisão da

Paraíba é que lá tem um cão, que não “perde um culto”. Todas as reuniões (quinta-feira, sábado e domingo)ele se chega e fica sentado na porta do santuário e só sai quando o culto termina quer o seu dono esteja presente ou não. A congregação da Rota do Sol mudou-se para outro endereço e o cão já acertou o lugar onde os cultos são realizados e está indo pra lá. Recentemente estive na congregação pregando a Palavra do Senhor e lá estava o cão na porta da casa do Senhor.

Será que se poderia dizer de forma contextualizada àqueles irmãos que tem dificuldades, por razões que não são justificáveis diante de Deus, de frequentar assiduamente aos cultos da igreja, o que Salomão disse aos preguiçosos do seu tempo “vai ter com o cão da Rota do Sol, ó negligente e aprende com ele a não perder os cultos na casa do Senhor”.

Irmãos queridos o culto é o momento mais sublime na vida de uma Igreja. É o momento em que o povo do Senhor se reúne com o seu Deus para celebrá-lo, para invocar o seu glorioso nome e para ouvir a sua santa Palavra que tanto conforto trás ao coração. Lembramos aos irmãos que o salvo tem prazer de se reunir com os seus irmãos na fé para as celebrações ao Senhor seu Deus. Veja o que disse o Salmista inspirado pelo Espírito Santo: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor” Sl 122.1. Noutro salmo ele disse que um dia na casa do Senhor valia mais do que em outra parte mil (Sl 84.10).

Você querido irmão que não tem o hábito de frequentar regularmente os cultos da casa do Senhor peça graça a Deus para isso, porque a Bíblia diz que bem-aventurados são os que habitam na casa do Senhor (Sl 84.4). Portanto, amados, espelhemo-nos (puxa!) no cão da Rota do Sol que não “perde um culto” e procuremos está sempre presente nos cultos da Igreja independente das circunstâncias serem favoráveis ou não.

Pr. Eudes Lopes Cavalcanti