ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

16-Dc. José Marçal Jr.

19-Sara Mizraim

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Diácono João Bosco (Bosco, Socorro, Jonas e Joanne). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

Abençoando outros com o que Deus nos deu

 

Deus por graça e por misericórdia nos deu o sustento para nós e para nossas famílias. A uns Ele deu muito e à outros pouco, tudo de acordo com a Sua soberana vontade.

A existência do pobre no mundo é uma oportunidade a quem Deus deu recursos para exercer o ministério da misericórdia. O Salvador disse que sempre teríamos os pobres conosco, e que quando quiséssemos poderíamos lhes fazer bem.

A pobreza tem diversas raízes, dentre elas o pecado de nossos primeiros pais, os pecados pessoais, a preguiça, as condições desfavoráveis, a cultura, as catástrofes, a política danosa de um País, a ganância, o desperdício e outros males.

A Beneficência é um dos ministérios da Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo. Dentre as atividades deixadas pelo Salvador para que a sua Igreja executasse nesse mundo está a beneficência. Ele através do apóstolo Paulo, disse: “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” Gl 6.10.

A Bíblia nos revela que Deus sempre se preocupou com os pobres, pois, deixou mandamentos para que o Seu povo cuidasse deles. “Quando entre ti houver algum pobre, de teus irmãos, em alguma das tuas portas, na terra que o SENHOR teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre;... pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra” Dt 15.7-11. Esse mandamento que é repetido nos livros de Êxodo (Ex 23.10,11) e de Levítico (Lv 19.9,10; 23.22), nos mostra do cuidado que Deus tinha com os pobres do Seu povo. No Novo Testamento o assunto não foi esquecido por Deus, ao contrário, ele foi tratado com tanta relevância que o Espírito Santo constituiu uma categoria de obreiros (os Diáconos) só para cuidar desse ministério na Igreja. “...Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio” At 6.1-3.

Deus lhe deu bens não foi só para você e sua família usufruir deles, mas, também para você ajudar aqueles que passam necessidades. Não tranque o seu coração nem o seu bolso para essa obra, pois, nós somos apenas mordomos daquilo que Deus nos deu. No grande dia do juízo final iremos prestar conta a Deus daquilo que Ele nos deu em vida e com certeza esse assunto será tratado por Ele. “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; ... Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?...E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” Mt 25.34-40.

Amados irmãos, não nos esqueçamos desse ministério, pois, ele agrada ao Senhor. Veja o que diz a Bíblia em Hebreus 13.16: “E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada”.

Pr. Eudes Lopes Cavalcanti