ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

08-Zenaide Ferreira

08-Mizael Meireles (Neto/Adeilda)

08-Brenda Edinalva (E. Sátiro)

09-Joseline (Line)

09-Warley Lamartine

10-Mª José Costa, 

LEMBRANDO:

1)    A Escola Bíblica Dominical (temos classe para todos os segmentos de pessoas)

2)    O culto de oração e estudo bíblico nas terças-feiras, e o culto de oração da quarta-feira (Circulo Oração)

3)    O dízimo do Senhor para mantimento de sua obra através do ministério da III IEC/JPA

CLASSE DE CASAIS: no próximo domingo, no período da manhã, os casais de nossa Igreja estarão se reunindo para um momento de reflexão e oração. Esse momento é de responsabilidade do casal Pastor Walter Moura e de sua esposa Raquel.

Tamanho da letra:

Valorize a família que Deus te deu

 

Como tem sido duro constatar o que o salmista nos diz na primeira parte do vers. 10 do Salmo 27: “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá”. (grifo nosso). Não pelo acolhimento que Deus dá, pois isso é graça abundante, é bênção do Céu, mas sim pelo abandono que a família vem sofrendo. Dentro e fora da Igreja, a família tem sido maculada pela voracidade dos modernismos das coisas e respostas imediatas e, consequentemente, marcada por relacionamentos superficiais, rasos e sem intimidade. Onde foram parar os conceitos de unidade, respeito pelos indivíduos, pelos sentimentos, enfim, pelo ser humano que também foi primeiramente amado por Deus?

Deus já havia projetado em seu plano perfeito a existência da família: uma unidade, pessoas com uma vida em comum, pessoas com muito mais para uni-las do que seu DNA. Deus criou a família para que nos completássemos uns aos outros em seu amor.

Observemos com sinceridade essa questão tão preciosa e importante na vida do cristão. Como tem sido nosso envolvimento real em nossas casas? Temos valorizado a família que Deus nos deu? E a irmandade pertinente a família da fé, onde Deus é nosso Pai, existe realmente?

Passemos a considerar esses pontos com disposição para mudar inclusive o que não está de acordo em nossa pessoa, o entendimento de que, se nossa família for forte e unida, estaremos todos surpreendendo, uma sociedade que não valoriza tanto sua existência!

Precisamos investir nosso tempo e coração nesse projeto que existe para nosso próprio benefício e de todos os que fazem parte dele. Se assim acontecer, vai valer muito dedicarmos o mês de maio a família.

Famílias fortes e abençoadas por Deus, que nas palmas de suas mãos nos gravou (Is 49.16).

Louvado seja o Senhor, Pai amoroso, reinando em nosso Lar!

Celízia Ferrer