ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

09-José Afonso (E. Sátiro)

10-Neusa de Moura

12-Edvando Bonifácio (Dc. R. do Sol)

14-Mª Teodória

15-Mª Eliane

Reuniões administrativas final de ano

13/12 – Reunião do Conselho Eclesiástico;

21/12 – Confecção Calendário 2019;

23/12 (M) - Assembleia da Igreja (homologação diretorias, recepção membros e separação para o oficialato )  

 

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO: o nosso jantar de confraternização será no dia 31/12, logo após o culto de final de ano. O culto será no horário das 21 às 23h, seguindo-se o jantar, que será no estilo americano. O Pb. Evandro José será o coordenador desse evento.

Tamanho da letra:

Administrando o tempo adequadamente


Deus ao criar o mundo material estabeleceu o tempo para delimitar o período de vida de suas criaturas na face da terra. Essa delimitação ou esse tempo permite que nesse espaço definido por Deus a vida se expresse para a glória dEle.
Os seres irracionais não têm essa preocupação com o tempo, pois vivem instintivamente, mas com os seres humanos, é diferente. O homem tem consciência clara do tempo, pois entende que o ciclo de sua vida está nele delimitado. “E de um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação” At 17.26.
Alguém já disse que “ninguém consegue deter a marcha do tempo, ela é inexorável”. Por mais que usemos os recursos proporcionados pela tecnologia para aumentar a possibilidade de prolongar a vida, a morte é uma perspectiva sempre presente e certa para a vida dos seres vivos. Nascemos, crescemos, nos reproduzimos e morremos. Não há como mudar essa situação do ponto de vista humano. Somos limitados pelo tempo.
De acordo com o propósito de Deus para a nossa vida já foi definido o dia de nossa morte como o foi o dia do nosso nascimento. Deus na sua soberania já estabeleceu isso para você leitor e para todos os homens.
Olhando para as Sagradas Escrituras o assunto tempo também é contemplado por Deus. Em Gênesis Deus disse que o homem viera do pó da terra e ao pó tornaria (Gn 3.19). O Senhor já sinalizava para Adão e para a sua descendência que a vida humana teria um limite. No livro de Eclesiastes o sábio Salomão falando sobre o ciclo natural da vida adverte ao ser humano a se lembrar de Deus nos dias da sua mocidade (Ec 12.1-7). Paulo escrevendo aos efésios (5.16) orientou aqueles irmãos a que procurassem remir o tempo, pois, os dias eram maus.
O povo de Deus é um povo especial. É uma propriedade exclusiva de Deus. Individualmente cada crente é um mordomo de Deus, e é responsável para administrar as coisas que Deus lhe deu – o tempo, a vida e os bens. Viemos sem nada a este mundo e sem nada partiremos dele, pois, tudo pertence a Deus. Urge a necessidade de que o crente como mordomo que é administre com inteligência as coisas que Deus lhe deu (tempo, vida e bens).
Tratando-se do tempo, Salomão disse que há tempo para todo o propósito debaixo do sol (Ec 3.1). Mas como temos dificuldade de administrar o tempo! Quanto desperdício nosso nessa área! Temos tempo pra tudo. Tempo para o lazer, para o trabalho, para a família, para os negócios, para isso e para aquilo, mas não temos tempo para as coisas de Deus. Quantas desculpas esfarrapadas nós apresentamos para justificar a nossa má administração do tempo no que se refere às coisas de Deus! O pequeno tempo que a igreja dedica a Deus com os seus cultos não é aproveitado por aqueles que dizem pertencer a Jesus. Por qualquer coisa perdem o privilégio e a oportunidade de celebrar ao Senhor juntos com os seus irmãos na fé.
Administremos irmãos melhor as nossas vidas nessa área!
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti