ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

14-Avani Dantas

15-Luiza dos Santos

17-Tiago de Andrade (filho/Vera)

19-Yan Ferreira (E. Sátiro)

20-Dc. Josias Batista

21-Rivanda Belmont

22-Isabel Cristina

CULTO COMEMORATIVO: no domingo 28/10, pela manhã, teremos um culto comemorativo da Reforma Protestante. A reflexão bíblica de 15 a 20 minutos será feita pelo Dc. Josias conforme escala de outubro. Em seguida, o pastor da Igreja fará uma exposição sobre esse fato histórico.

Tamanho da letra:

MULHERES, TRÊS PERFIS: oração, coragem e cooperação.

Quero falar às queridas irmãs em Cristo através deste artigo, cujo título mostra características de três mulheres que deixaram a sua marca neste mundo como servas de Deus: Ana, Débora e Dorcas.
A oração foi uma constante na vida de Ana, mulher humilde, temente a Deus e que confiava inteiramente no Senhor, por isso lhe pediu um filho, mesmo sabendo que humanamente aquele pedido lhe era impossível (1 Samuel 1.10,11). A sua fé a fez prosseguir com a certeza de que o Deus a quem ela servia era poderoso para realizar o impossível, ou seja, fazer com que seu útero estéril se tornasse produtivo. A confiança demonstrada por Ana agradou a Deus que a ouviu e entregou-lhe nos braços o filho Samuel. Nesta história de uma vida simples podemos ver a marca que Ana deixou para nós e para as gerações vindouras, a marca da perseverança na oração.
A Coragem foi a marca deixada pela profetisa Débora (Juízes 4). Única juíza de Israel à sua época, ela pôde, com sua determinação, mudar uma situação contrária que durante vinte anos os israelitas vinham sofrendo. Ela encorajou um homem (Baraque) e foi à luta com ele, guerrear junto com o seu povo. Mas Débora, assim como Ana, tinha um segredo: a vida contrita com Deus; uma comunhão estreita com Aquele que sempre nos conduz em triunfo, porque Ele quer ver o seu povo vitorioso. Através de sua vida também simples, aquela mulher deixou seu nome registrado na história, levando-nos a querer também lutarmos em prol do Reino de Deus.
A cooperação foi sinônimo da vida de Dorcas (Atos 9.36-41), que com uma habilidade sem muito prestígio, ela pôde vestir os necessitados da Igreja; através de uma agulha e de uma linha, ela ajudou os carentes da sua época. Ela era tão útil que, quando morreu, as viúvas a quem ela ajudava não se conformaram com a sua morte, e chamaram Pedro que orou a Deus para que ela voltasse a viver, e Deus, nosso Pai querido, atendeu ao pedido porque aquelas pessoas pobres, que dependiam tanto de Dorcas, tiveram uma atitude de fé.
Irmãs amadas, servas de Deus, Auxiliadoras Femininas, tenhamos, como essas mulheres, a motivação para orar ao nosso Deus e pedir que Ele nos use para fazermos a diferença neste mundo; coragem para prosseguirmos com a nossa tarefa de fazer crescer o Seu Reino; a motivação correta para cooperarmos com o nosso Departamento Feminino, lugar dado por Deus para que possamos ajudar aos nossos Pastores, as nossas Igrejas e a nossa Denominação. Levantemo-nos e nos encorajemos para deixarmos também nossa marca neste mundo para a glória de Deus.
Um bom começo é ajudando os pobres e necessitados: “o jejum que me agrada é que vocês repartam a sua comida com os famintos, que recebam em casa os pobres que estão desabrigados, que dêem roupas aos que não têm e que nunca deixem de socorrer os seus parentes” (Isaías 58.7 – Bíblia- tradução linguagem de hoje).
Portanto, baseadas nesse texto que é o lema do 8º Congresso do DAC, deixemos o medo e nos preparemos para participar desse evento, quando estaremos, ali, nos aparelhando para continuar fazendo a obra que o Senhor colocou em nossas mãos.
Ajudem-me em oração, sejam corajosas e cooperem para que nosso Congresso seja uma bênção, pois através deste evento, estaremos usando o espaço que a nossa Denominação nos dar para servimos melhor ao nosso Deus.
Pelos laços que nos unem em Cristo Jesus, despeço-me.
Virgínia Macedo - Diretora da 1ª Regional do DAC