ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

17-Jair Costa (J. Américo)

18-Emília Lopes (E. Sátiro)

19-Enoque Monteiro

20-Ana Gabrielly (E. Sátiro)

20-Djanilson Rodrigues

23-Pb. Valdenor Torres

CESTA DO AMOR: Colabore com a Cesta do Amor trazendo um quilo de alimento não perecível (feijão, arroz, macarrão, fubá, etc). Esses mantimentos comporão as cestas básicas para distribuição aos que estão enfrentando necessidades dentro e fora da nossa Igreja.  A beneficência é um dos ministérios da Igreja, e tem o agrado de Deus (Leia Hb 13.16).

Tamanho da letra:

 

A Beleza da Igreja

 

    Escrevemos recentemente três artigos sobre a Igreja do Senhor na sua expressão local. Escrevemos sobre a unidade da Igreja, a preciosidade da Igreja e a autoridade da Igreja, e neste artigo iremos discorrer sobre a beleza da Igreja.

   No livro de Cantares temos um versículo que figurativamente fala sobre a beleza da igreja de nosso Senhor Jesus Cristo: “Quem é esta que aparece como a alva do dia, formosa como a lua, brilhante como o sol, formidável como um exército com bandeiras?” Ct 6.10. É verdade que neste texto Salomão, extasiado,  descreve a beleza de Sulamita, uma mulher, sua amada, mas não temos dúvidas de que falava da Igreja do Senhor no plano espiritual. Cristo, noivo da Igreja, a descreve do mesmo jeito com a mesma intensidade, senão vejamos: No Apocalipse encontramos um texto que descreve a beleza da Igreja do Senhor: “E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus...” Ap 21.2-4.    A carta de Paulo a igreja de Éfeso (5.27) fala também sobre a beleza da Igreja do Senhor: “Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”. Ainda no Apocalipse (7.9) encontramos a beleza da Igreja revelada: “Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos”.

     Mas em que consiste a beleza da Igreja, já que ela não tem uma aparência física? É bom lembrar que estamos tratando de coisas espirituais. A beleza da Igreja não está na grandiosidade do edifício em que ela se reúne nem na posição social de seus membros, nem no lugar estratégico de sua localização física e sim no homem interior regenerado pelo Espírito, na nova criatura nascida de Deus.

     Mas ainda a beleza da Igreja no plano espiritual é observada porque ela reflete a glória do seu Senhor, daquele que por ela deu a sua própria vida. Como a lua reflete a luz do sol assim também a igreja reflete o fulgor de Cristo. “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” 2 Co 3.18.

   O brilho da Igreja, ou a sua glória, ou ainda a sua beleza, se reflete na vida dos seus membros, daqueles que professam a fé em Cristo quando eles vivem uma vida de santidade, afastada do pecado em todas as suas manifestações. Observem que na visão da igreja no Apocalipse ela é apresentada como que vestida de vestes brancas que representa pureza, sem mancha, porque ela foi lavada e alvejada pelo precioso sangue de Jesus, Seu Senhor.

    O grande desafio que temos como crentes individuais e, consequentemente, como membros da igreja do Senhor é viver de tal maneira que a glória do Senhor da Igreja reflita em nossas vidas, e isso acontece quando deixamos o Espirito controlar os nossos sentimentos e ações.

    Reflita nisso caro irmão: você reflete em sua vida a beleza de Cristo? Os que lhe cercam veem o brilho da glória de Cristo em sua vida ou o mau cheiro do homem velho em sua vida os faz se afastarem dEle?

                                  

   Pr. Eudes Lopes Cavalcanti