ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

17-Jair Costa (J. Américo)

18-Emília Lopes (E. Sátiro)

19-Enoque Monteiro

20-Ana Gabrielly (E. Sátiro)

20-Djanilson Rodrigues

23-Pb. Valdenor Torres

CESTA DO AMOR: Colabore com a Cesta do Amor trazendo um quilo de alimento não perecível (feijão, arroz, macarrão, fubá, etc). Esses mantimentos comporão as cestas básicas para distribuição aos que estão enfrentando necessidades dentro e fora da nossa Igreja.  A beneficência é um dos ministérios da Igreja, e tem o agrado de Deus (Leia Hb 13.16).

Tamanho da letra:

 

Uma decisão acertada

 

    Na vida sempre nos deparamos com situações difíceis ou fáceis que nos levam a tomar decisões.

   Olhando para a Bíblia observamos também que servos de Deus do passado, de vez em quando, enfrentavam situações que requeriam uma decisão, dentre eles um grande servo de Deus, Josué, que corajosa e publicamente declarou-a perante todo o povo de Deus, inclusive de seus líderes.

    Segundo a vontade soberana de Deus coube a Josué, filho de Num, da tribo de Efraim, suceder a Moisés, o grande líder do povo de Deus, e introduzir a Israel na terra da promessa. Grandes foram as batalhas enfrentadas por aquele servo de Deus. A terra foi conquistada e dividida entre as nove tribos e meia (duas tribos e meia – Rubem, Gade e meia tribo de Manassés - já tinham recebido a sua herança além do rio Jordão quando Moisés destruíra os reinos de Seom e de Og).

    Estando Josué já velho, cansado de suas lides ministeriais, sabendo que o povo de Deus sempre se inclinava ao erro, convocou os líderes de Israel e todo o povo e, depois de fazer uma recapitulação dos grandes feitos do Senhor, despede-se deles, dizendo: “... Então Josué disse a todo o povo: Assim diz o Senhor Deus de Israel: ... Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao Senhor. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”  Js 24.1-15.

    Observem que nesse texto o povo de Deus ainda estava se envolvendo com os deuses dos povos que foram destruídos tanto de um lado como do outro do Jordão e também com os  deuses do Egito. Diante disso, Josué os desafia a servir somente ao Senhor, o Deus verdadeiro, o Deus de Israel. Depois de confrontá-los Josué revela a decisão que tomara em sua vida: “porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.

    Amados, servir a Deus é, antes de ser uma obrigação, um privilégio. Deus para fazer as coisas não precisa de ninguém. Lembremo-nos de que Ele é todo-poderoso capaz de fazer tudo sozinho, sem depender de ninguém, mas aprouve a Ele, segundo a sua soberana vontade, dá o privilégio a Sua Igreja de servi-Lo. Paulo disse que nós os crentes somos colaboradores de Deus. “Porque nós somos colaboradores de Deus;...” 1 Co 3.9.

    Assim sendo, devemos, como crentes em Cristo, procurar servir a Deus de todo o nosso coração. A Bíblia orienta a Igreja a servir a Deus com um coração sincero e com uma alma voluntaria (1 Cr 28.9), com alegria (Sl 100.2), com fervor (Rm12.11), sempre de forma abundante (1 Co 15.58), sem esperar recompensa nenhuma, apesar de Deus prometer recompensar aos seus servos fiéis (1 Co 15.58).

    Não seja irmão um mero assistente das coisas que acontecem no serviço do Reino de Deus através do ministério da Igreja local, e sim um fervoroso trabalhador. Siga o exemplo de Josué que tomou a decisão acertada nessa área, desafiando todo o povo de Deus no seu tempo a fazer o mesmo.                       

                               Pr. Eudes Lopes Cavalcanti