ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

14-Avani Dantas

15-Luiza dos Santos

17-Tiago de Andrade (filho/Vera)

19-Yan Ferreira (E. Sátiro)

20-Dc. Josias Batista

21-Rivanda Belmont

22-Isabel Cristina

CULTO COMEMORATIVO: no domingo 28/10, pela manhã, teremos um culto comemorativo da Reforma Protestante. A reflexão bíblica de 15 a 20 minutos será feita pelo Dc. Josias conforme escala de outubro. Em seguida, o pastor da Igreja fará uma exposição sobre esse fato histórico.

Tamanho da letra:

 

Cristianismo em Ação (Perdão)

 

       Perdoar não é nada fácil! A ofensa recebida é algo difícil de esquecer e nosso ego é tendencioso a retribuir sempre o mal com o mal. Além disso, vivemos em um mundo egoísta e retaliativo onde é vergonhoso e covarde “dar o outro lado da face”. O lema do mundo anticristão é simplesmente: “bateu, levou”. Todavia, o perdão na vida do cristão não é uma opção e sim uma ordem. Por mais que nosso ego esteja ferido devemos exercitar o perdão. O Senhor Jesus falou que se não perdoamos aos nossos ofensores, jamais  seremos perdoados por Deus a quem ofendemos diariamente com nossas palavras, ações e pensamentos (Mt 6:15). Ou seja, na vida cristã “é perdoando que se é perdoado” como bem dizia São Francisco de Assis. Fomos perdoados para perdoar e perdoamos para ser perdoados. A base para perdoamos as ofensas alheias é o perdão de Deus para conosco.  Quem toma a dimensão do perdão de Deus para consigo, encontra automaticamente, graça e motivo suficiente para perdoar qualquer mágoa ou desgosto.  Há um hino que diz: “eu nunca saberei o preço dos meus pecados (ofensas) lá na cruz”. Se Deus tivesse de nos perdoar nas mesmas bases que usamos uns para com os outros, jamais seríamos perdoados.  Geralmente queremos perdoar com certas restrições... ”eu o perdoo, mas... mas”, etc.      O Senhor Jesus falou algumas coisas importantes sobre o perdão:1. O perdão deve ser ilimitado, não há medida para se perdoar (Mt 18:21,22); 2. O perdão não deve ser forçado, mas de coração (Mt 18:35); 3. O perdão ao próximo é a base para comunhão com Deus (Mt 6:12); 4. O perdão é a base da adoração (Mt  5:24); 5. O perdão deve ser particular em casos particulares e público em casos públicos(Mt 18:15-17); 6. O perdão deve ser sem interesse lucrativo (Mt 6:3); E assim por diante. Em outras palavras, não existe vida cristã real sem a prática contínua e diversificada do perdão. Todos os cristãos devem aprender a perdoar e serem perdoados mutuamente. Com 33 anos de estrada na igreja evangélica, já tive várias experiências nesse sentido. Tanto ofendi como fui ofendido. Uma vez, tive que perdoar R$ 500,00 emprestados a um professor de Seminário. Mas, posso afirmar que nunca perdi absolutamente nada em perdoar. Pelo contrário, apenas ganhei, e como ganhei. Perdoar faz bem para alma!

Bel. Teol. Samuel Santos

Dirigente Cong. José  Américo