ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

25-Risolene Fernandes

26-Jaciara Araújo

27-Valdilene Régis

ORANDO PELAS FAMÍLIAS

Coloquemos diante do altar do Senhor, nesta semana, a família do Presb. José Diniz (Diniz, Lúcia, Laércia, Laélia, Og, Makobi e Nícolas). “Orai uns pelos outros para que sareis”.

Tamanho da letra:

 

As Misericórdias do Senhor

 

     No livro de Lamentações de Jeremias encontramos um texto que trata sobre as misericórdias do Senhor. Diz-nos o texto o seguinte: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não tem fim; Novas são cada manhã;...” Lm 3.22,23.

     O contexto em que esta Escritura foi revelada foi justamente quando da destruição da cidade de Jerusalém e do seu santuário. Apesar da destruição feita pelo exército caldeu, o profeta Jeremias tinha esperança de que o Deus que permitira aquela catástrofe era o mesmo Deus que iria fazer uma poderosa obra de reconstrução no futuro, o que foi feita através de Zorobabel, Neemias e Esdras, homens levantados por Deus para isso.

   Segundo o dicionário Larousse a palavra misericórdia tem os seguintes significados: Piedade, compaixão. Perdão dado por bondade; graça.

   Realmente irmãos Deus nos têm tratado com graça e com misericórdia. Ele não nos tem tratado na proporção dos nossos erros e dos nossos pecados, conforme nos é revelado em sua Palavra: “Misericordioso é o Senhor; longânimo e grande em benignidade. Não repreenderá perpetuamente nem para sempre conservará a sua ira. Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniquidades” Sl 103.8-10.

   Se olharmos, irmãos, para as nossas vidas à luz da santa Palavra de Deus que é um espelho, veremos quão grandes são as nossas fraquezas, os nossos tropeços, as nossas falhas, pois diante da santidade de Deus até aquelas pequenas falhas ferem esse glorioso atributo da Deidade. Observe a experiência do profeta Isaías, registrada no capítulo seis do seu livro. Quando o profeta teve a visão da santidade de Deus ele se viu a si mesmo e clamou desesperado: “ai de mim que vou perecendo porque eu sou um homem de lábios impuros”, mas quando esse profundo sentimento de inutilidade e de pecaminosidade encheu o coração do homem de Deus imediatamente a misericórdia do Senhor se manifestou no perdão e na purificação do seu pecado, através do toque da brasa do altar em seus lábios, que representava o sangue de Jesus Cristo que seria derramado no futuro na Cruz do Calvário, que nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1.9).

    Irmãos, essa misericórdia de Deus, conforme revelada em Sua Palavra, nos leva a pensar em três coisas: 1) Deus, apesar de justo, não nos pune com a mesma medida de nossos erros; 2) um profundo sentimento de gratidão por essa misericórdia porque através dela não somos consumidos pela ira divina. Isso foi dito por Jeremias. “as misericórdias do Senhor são a causa de sermos consumidos”; 3) devemos pedir graça ao Senhor para que não mais cometamos aquilo que Lhe desagrada, que é a transgressão de seus mandamentos.

“Então disse Davi a Gade: estou em grande angustia; caia eu, pois, nas mãos do Senhor, porque muitíssimas são as suas misericórdias, mas que eu não caia nas mãos dos homens”.    

                         Pr. Eudes Lopes Cavalcanti