ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

09-José Afonso (E. Sátiro)

10-Neusa de Moura

12-Edvando Bonifácio (Dc. R. do Sol)

14-Mª Teodória

15-Mª Eliane

Reuniões administrativas final de ano

13/12 – Reunião do Conselho Eclesiástico;

21/12 – Confecção Calendário 2019;

23/12 (M) - Assembleia da Igreja (homologação diretorias, recepção membros e separação para o oficialato )  

 

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO: o nosso jantar de confraternização será no dia 31/12, logo após o culto de final de ano. O culto será no horário das 21 às 23h, seguindo-se o jantar, que será no estilo americano. O Pb. Evandro José será o coordenador desse evento.

Tamanho da letra:

 

 Uma Igreja sensível à voz do Espírito

 

       Segundo o relato de Atos 11.19-21, a Igreja de Antioquia da Síria foi fundada por um grupo de irmãos que tinha fugido de Jerusalém por causa da perseguição contra o Cristianismo que ocorrera naquela cidade. Ainda nesse capítulo nos é dito que a Igreja de Jerusalém, ao tomar conhecimento da graça de Deus manifestada em Antioquia, enviou Barnabé para ministrar nela por algum tempo. Depois, Barnabé convidou a Paulo para ajudá-lo no ministério daquela Igreja (At 11.22-26), onde fizeram uma grande obra. Ainda nessa Igreja, ministrou Ágabo o profeta (At 11.27-30). A obra do Espírito Santo foi tão poderosa naquela cidade que gerou na vida dos membros daquela Igreja uma profunda dedicação a Cristo, a ponto de levar o povo de Antioquia a chamá-los de cristãos, sendo essa a primeira vez na história que foram chamados assim. (At 11.26).

    O capítulo 13 de Atos nos apresenta uma Igreja consolidada e que tinha em seu ministério profetas e mestres, bem como uma visão missionária aguçada. O texto nos revela ainda que nessa Igreja o Espírito Santo operava com liberdade. “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora,   Barnabé  e  a  Saulo  para a obra a que os tenho chamado” At 13.2. No versículo seguinte nos é mostrada a grande sensibilidade que a Igreja tinha de ouvir e de obedecer à voz do Espírito. “Então, Jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram” At 13.3.

    Irmãos, a Bíblia nos revela que o Espírito Santo foi dado a Igreja como um dom celestial. A habitação do Espírito Santo na vida do crente em Cristo é uma das grandes verdades reveladas nas Escrituras. “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” Ef 1.13. O Espírito foi derramado sobre a vida de todo o crente verdadeiro, no ato de sua conversão, batizando-o no corpo de Cristo (1 Co 12.13), como também lhe foi dado para guiá-lo nos caminhos do Senhor (Jo 16.13; Rm 8.14).

   A Bíblia revela ainda que o Espírito Santo, além de habitar individualmente no crente,  está também presente na vida da Igreja como comunidade local. “... Neles habitarei, e entre eles andarei...” 2 Co 6.16.

   Contextualizando o assunto, a presença do Espírito Santo no meio das Igrejas locais, ainda hoje, é uma maravilhosa realidade. No livro de Apocalipse as Igrejas locais são orientadas a dar ouvidos à voz do Espírito. “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as Igrejas” Ap  2.9.

    Amados, estamos como Igreja local gozando da poderosa presença do Espírito Santo,  representante do Senhor Jesus. É Ele quem nos renova, motiva, fortalece, guia e nos leva a fazer a vontade de Deus.

    Deus tem um propósito maravilhoso em nossas vidas através do ministério de nossa Igreja. Para que isso se torne uma realidade faz-se necessário que sejamos sensíveis à voz do Espírito de Deus que habita em nós e que estar em nosso meio.     

    Pr. Eudes Lopes Cavalcanti