ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

19-Mário Lopes

21-Rebeca Brito

22-Dc. José Bruno

23-Hortência Gabriela (nora/Vera)

RETIRO ESPIRITUAL: O nosso Retiro Espiritual será realizado nas dependências de nossa Igreja, que por sinal, está preparada para esse tipo de atividade (pouquíssimas igrejas aqui em João Pessoa têm a estrutura que nós temos, que nos foi dada graciosamente por Deus). Teremos cultos no domingo (manhã e noite) e na segunda-feira (manhã e noite). No domingo e na segunda-feira teremos almoço na Igreja. Será cobrada a taxa de R$ 5,00 por almoço. Os conjuntos da Igreja (Getsêmani, Ebenézer, Bandinha e Ágape) participarão desses cultos. Os preletores serão da Igreja e outros obreiros convidados pelo Pastor da Igreja. Queremos contar com a presença de toda a Igreja nesse Retiro. O Presb. Evandro José é o responsável pelos almoços. A coordenação geral do Retiro é do Pastor Walter Moura. Nos próximos boletins daremos mais detalhes acerca de tema do Retiro, preletores, etc.

Tamanho da letra:

 

Uma Paternidade Responsável

 

      Conforme o seu programa eterno, Deus quando fez o homem lhe deu a capacidade de gerar filhos com a sua mulher. Através dessa capacidade, foi-lhe atribuído um dos seus mais importantes papéis em sua vida que é a paternidade, na medida em que ele vai ao longo de sua vida gerando filhos.

   Segundo as Sagradas Escrituras, o Criador tem uma expectativa no que se refere ao exercício de forma responsável dessa capacidade dada ao  homem, senão vejamos:

      Em primeiro lugar, o Criador deseja que essa capacidade se manifeste através do matrimônio, que é uma instituição Sua para propagação da espécie e para a felicidade dos cônjuges. “Venerado entre todos seja o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará” Hb 13.4. Em segundo lugar, espera o Criador que o pai seja um exemplo de vida para os seus filhos, ou seja, viva ele de tal maneira que o filho se espelhe nele como um exemplo de um homem de bem, responsável, cumpridor de seus deveres para com Deus, para com a Igreja, para com a sua família e para com a sua Pátria. Em terceiro lugarque o pai invista na vida espiritual de seus filhos considerando que um ser humano não tem só necessidades materiais e sim também espirituais. “... nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” Mt 4.4.  “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão  no  teu  coração;  e  as  intimarás a  teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te” Dt 6.6,7.

      Como exemplo bíblico de uma paternidade responsável, que tinha interesse na vida dos seus filhos, principalmente no futuro eterno deles, encontramos o patriarca Jó, conforme informação do texto a seguir: “Sucedia, pois, que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram os meus filhos e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente” Jó 1.5. Ainda temos outro exemplo bíblico sobre uma paternidade responsável, que é o de José, marido de Maria, que levava Jesus quando criança para o santuário: “Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém, à festa da Páscoa. E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém segundo o costume do dia da festa” Lc 2.41,42.

     Existem muitos pais, infelizmente alguns  evangélicos, que não exercem uma paternidade responsável. Não cuidam dos seus filhos, não zelam por eles e, pior do que isso, eles não dão exemplo em áreas cruciais da vida, tais como: honestidade, santidade, responsabilidade, dedicação à obra do Senhor, etc.

        Amados nós que fazemos a III IEC/JPA, e que somos pais, pela graça divina, procuremos exercer a nossa paternidade de tal maneira que Deus seja glorificado, e que os nossos filhos vejam em nós pais exemplares, que verdadeiramente cumpram os seus compromissos, especialmente aqueles ligados a área espiritual. Lembremo-nos de que Deus nos deu essa incumbência e que dela vamos dá contas quando comparecermos diante do tribunal de Cristo.

                                                                                                     Pr. Eudes Lopes Cavalcanti