Tamanho da letra:

A Vocação da Igreja

 

Aprouve a Deus, segundo o beneplácito de Sua soberana vontade instituir a Igreja. Essa Igreja, segundo as Sagradas Escrituras é composta de judeus e gentios unidos pela cruz de Cristo. Antigamente, na Dispensação do Velho Testamento, Deus escolhera um povo em Abraão, os judeus. No Novo Testamento encontramos Deus instituindo um povo Seu especial, zeloso de boas obras, a Igreja que é composta de judeus e não judeus (gentios). Essa benção de incluir os gentios no âmbito de povo de Deus tinha sido prometido a Abraão, conforme registro em Gn 12.3: “em ti serão benditas todas as famílias da terra”. O apostolo Paulo trata do assunto, mui especialmente em sua carta aos Efésios: “Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derribando a parede de separação que estava no meio, ... e, pela cruz, reconciliar ambos com Deus em um corpo, ...” Ef 2.13-16.
Agora, constituídos em Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo, se nos apresentam diante de nós, da parte de nosso Deus, algumas atividades que precisamos fazer segundo o plano de Deus: Adoração, edificação, proclamação e beneficência.
Considerando que a Igreja é um organismo vivo com tendência natural para o crescimento segundo a vontade daquele que a instituiu, precisamos como membros de uma Igreja local, que é também uma instituição divina, nos esforçar para promover o crescimento da Igreja visando à glória de Deus. Quando se trata de crescimento da Igreja deve-se levar em consideração, tanto o aspecto qualitativo quanto ao aspecto quantitativo. Crescer nessas duas áreas é a vocação da Igreja. Na segunda carta de Pedro (3.18), o apóstolo trata de crescimento qualitativo. “Antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. No livro de Atos, Lucas nos informa que as igrejas na Judéia, em Samaria e na Galiléia, regiões de Israel, cresciam em número e se multiplicavam. (At 9.31).
Amados irmãos, reflitamos sobre a vocação da Igreja e lutemos para promover o seu crescimento espiritual e para promover também o seu crescimento numérico. Contribuamos, oremos, e nos dediquemos à obra do Senhor para que Ele acrescente, a cada dia, a Igreja aqueles que hão de ser salvos. Procuremos dar a nossa contribuição e, certamente, Deus se agradará de nós.