“Misticismo na igreja brasileira é falso evangelho”, diz Hernandes Dias Lopes

 

 

O reverendo Hernandes Dias Lopes, da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória (ES) escreveu em seu Facebook sobre o misticismo presente na igreja brasileira.

Segundo o líder religioso, algumas igrejas trocam o evangelho da graça por rituais estranhos às Escrituras. “O misticismo de algumas igrejas brasileiras beira ao ridículo”, afirma.

De acordo com Lopes, algumas igrejas têm entre seus líderes obreiros inescrupulosos que, em nome de Deus, “torcem a Palavra de Deus, e conduzem o povo pelos atalhos sinuosos do engano para auferir vantagens pessoais”.

 

Leia mais...

Pastor Ciro Zibordi faz comparações entre igrejas que “gostam de shows” e as que “adoram a Deus em espírito e em verdade”.

 

 

O pastor assembleiano Ciro Zibordi publicou artigo em seu blog comparando as igrejas classificadas por ele como “triunfantes” e “triunfalistas”.

Em seu artigo, Zibordi afirma que “a igreja triunfalista marcha pelo caminho largo. A igreja triunfante anda pelo caminho estreito”, citando como referência, a passagem bíblica de Mateus 7:13,14.

Ciro Zibordi insere em sua crítica comparativa questões ligadas à música gospel: “A triunfalista gosta de shows. A triunfante adora a Deus em espírito e verdade (Jo 4.23,24)”, e também em relação à mensagem pregada: “A triunfalista prega o que mundo quer ouvir. A triunfante prega o que o mundo precisa ouvir”.

Leia mais...

 

Marcha para Jesus em Recife reúne fiéis de 300 denominações

 

Mais de 300 denominações se uniram para realizar a Marcha para Jesus em Recife (PE) no último sábado (15), saindo do Terceiro Jardim com sentido ao Polo Pina milhares de pessoas oraram e cantaram seguindo os sete trios elétricos que fizeram parte do evento.

Essa foi a 19º edição da Marcha na capital pernambucana, sempre reunindo muitos jovens e famílias inteiras que aproveitam o momento para expressar sua fé em Cristo.

Leia mais...

Jovem cristã demitida do Burger King por pedir para usar saia para trabalhar

  

Uma jovem cristã está processando a rede de lanchonetes Burger King por ter sido demitida no seu primeiro dia de emprego, devido ao fato de pedir para usar saias ao invés de calça no trabalho. Ashanti McShan, de 17 anos, afirma que por causa de sua fé cristã pentecostal só poderia usar saia, e foi discriminada pela rede de lanchonetes por causa dessa sua posição religiosa.

A jovem conta que nas entrevistas havia explicado que suas crenças religiosas exigem que as mulheres só podem usar saias ou vestidos, nunca calças, e que seu entrevistador na ocasião, gerente da franquia local, disse a ela que era possível usar saia e a contratou como caixa.

Leia mais...

Nick Vujicic, evangelista cristão que não tem braços e pernas, anuncia que será pai: ‘Deus é muito bom’

 

 

O palestrante motivacional evangélico e evangelista Nick Vujici, conhecido mundialmente como um exemplo de superação, por não ter braços e pernas, anunciou recentemente que será pai.

Casado desde fevereiro desse ano, Vujici anunciou pelo Facebook a gravidez de sua esposa, que está no 3º mês de gestação, segundo o The Christian Post.

- Minha esposa e eu estamos esperando!!! Estamos na 13° semana de gravidez!! Deus é muito bom!! – escreveu o evangelista em sua página da rede social.

O evangelista nasceu com uma síndrome de tetra-amelia, uma desordem rara caracterizada pela ausência dos quatro membros (braços e pernas).

Pela forma que encara sua deficiência, Nick se tornou um exemplo de superação e sua fé e confiança em Deus já inspirou a muitos, sendo convidado a dar palestras por todo o mundo falando sobre o papel vital de Deus no modelar e renovar de sua vida, que era cheia de depressão e amargura.

Autor de “Vida Sem Membros”, o cristão se casou com Kanae Miyahara, na Califórnia e, mesmo sem braços e pernas, já realizou feitos que muitos não fez, como surfar na praia de Waikiki, conduzir uma orquestra de 60 instrumentos, ir aos bairros pobres da Índia e Egito, ou realizar acrobacias de circo para um filme de Hollywood.

Redação Gospel+

 

Organização missionária muda abordagem evangelística na cidade de Aparecida do Norte para evitar atritos com católicos

 

 

Com a proposta de prestar serviços e valorizar a figura humana, a organização missionária Jovens com uma Missão (Jocum) está mudando sua estratégia de evangelismo junto aos católicos que visitam a cidade de Aparecida do Norte, no interior de São Paulo.

A cidade abriga a Basílica de Aparecida, e é o destino de milhões de pessoas todos os anos, que integram romarias para pagamento de promessas à santa católica.

De acordo com o site jocumsampa.org, a estratégia de “Promoção Humana”, já foi utilizada em eventos como a Parada Gay em São Paulo, quando jovens missionários compareceram ao evento para auxiliar pessoas em estado de embriaguez e falar de Jesus a elas.

Ivinson Lima, um dos coordenadores da campanha de evangelismo em Aparecida do Norte, afirma que a intenção é se tornar uma referência na cidade durante os eventos católicos ocorridos na cidade: “Mudamos a estratégia de ‘Evangelização pessoal’ para ‘Promoção humana’: queremos estar em pontos estratégicos dentro do local, continuando a fazer o evangelismo pessoal, mas ganhando espaço dentro do evento. Bem parecido com o que fazemos em Barretos na Festa do Peão”.

A Jocum está capacitando 2000 jovens para missões evangelísticas na cidade, sendo que 400 destes estarão em ação no dia 12/10, data comemorativa para os católicos e feriado nacional.

Porém, a presença da Jocum em Aparecida deverá seguir uma linha de conduta que não cause atritos com os fiéis católicos: “Nós presenciamos um grupo grande de evangélicos uniformizados com o dizer ‘Marcha pra Jesus’ em camisetas e bandeiras grandes, causando incômodo e de forma geral desrespeitando a crença dos Católicos”, afirmou.

Redação Gospel+

 

Está pronto para votação projeto da senadora Marta Suplicy que inclui união civil de casal homossexual no Código Civil

 

 

O projeto de autoria da senadora Marta Suplicy (PT-SP), que altera o Código Civil para reconhecer a união estável entre casais do mesmo sexo, e para possibilitar a conversão dessa união em casamento, já está pronto para ser votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Hoje, o Código Civil (Lei 10.406/2002) só reconhece como entidade familiar os relacionamentos entre homem e mulher. Com o projeto (PLS 612/2011), a senadora busca reconhecer “a união estável entre duas pessoas, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família”, dando assim respaldo para o reconhecimento de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo.

De acordo com informações da Agência Senado, a proposta de Suplicy determina também que a união estável “poderá converter-se em casamento, mediante requerimento formulado pelos companheiros ao oficial do Registro Civil, no qual declarem que não têm impedimentos para casar e indiquem o regime de bens que passam a adotar, dispensada a celebração”.

Desde 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) já reconhece o direito de formalização da união entre casais homossexuais, mas a senadora afirma que a segurança jurídica em relação a esse tipo de caso só se dará plenamente com a previsão do direito no Código Civil, como pleiteia em seu projeto, opinião compartilhada também pelo relator na CCJ, senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Redação Gospel+

 

Pesquisa aponta que grande parte dos cristãos evangélicos não falam de sua fé para os não cristãos

 

 

Um estudo realizado entre cristãos que frequentam uma igreja regularmente apontou que uma grande parcela dos evangélicos não compartilha sua fé com os não cristãos. Realizada pela LifeWay Research para analisar oito atributos da maturidade dos cristãos evangélicos, a pesquisa traz dados preocupantes sobre a postura dos cristãos.

A pesquisa mostrou que a grande maioria não falou sobre como se tornar um cristão para um não cristão nos últimos seis meses. De acordo com o levantamento, 80 por cento daqueles que frequentam a igreja protestante, uma ou mais vezes por mês, acreditam que têm uma responsabilidade pessoal em compartilhar sua fé. Porém, 61 por cento desses cristãos não tem o compromisso efetivo em falar de Jesus a outra pessoa.

De acordo com a LifeWay Research, entre os oito atributos evidentes e marcantes na vida dos crentes, o “Partilhar a Pessoa do Senhor Jesus” com outras pessoas tem a menor pontuação média entre os entrevistados das igrejas protestantes.

Três quartos dos fiéis dizem que se sentem confiantes em sua capacidade para comunicar eficazmente o evangelho, enquanto 12 por cento dizem que não se sentem confortáveis contando aos outros sobre sua fé, apesar de a maioria deles dizer acreditar que é seu dever compartilhar sua fé.

Outra pergunta feita pela pesquisa foi sobre quantas vezes os cristãos fizeram convites pessoais para uma pessoa participar de um culto ou alguma programação em sua igreja. Trinta e três por cento das pessoas disseram ter convidado uma ou duas vezes, 19 por cento disseram ter feito isso em três ou mais vezes nos últimos seis meses, e 48 por cento disseram não ter feito nenhum convite do tipo no período.

- Na realidade as pessoas que já são cristãs há mais tempo não têm experiências novas relacionadas ao evangelho do que os cristãos novos convertidos. Assim os novos cristãos acham natural compartilhar sua nova experiência, e os cristãos maduros muita das vezes fazem este compartilhamento com intenção e não simplesmente só por testemunhar – afirmou o responsável pela pesquisa Ed Stetzer da LifeWay Research.

Redação Gospel+

 

Avivamento transforma a vida de muitos israelenses

 

Informações divulgadas pela agência de notícias CBN revelam que a comunidade judaica em geral tem se mantido cada vez mais aberta para compreender quem realmente é Yeshua (Jesus). Embora ninguém saiba exatamente quantos judeus messiânicos vivem em Israel, acredita-se que há 120 congregações e entre 10 e 15 mil judeus que creem em Jesus. Há mais de 10 anos, eram 350 crentes e 80 congregações.

“Creio com todo meu coração que, após voltarmos para esta terra, agora podemos ver o Senhor, o Espírito Santo, tirando o véu dos olhos dos judeus e cada vez mais estão passando a refletir a respeito, e dizem: ‘Um minuto… Jesus era judeu, talvez Ele era o Messias e nós o perdemos’”, diz Avi Mizrachi, que é pastor em Tel-Aviv.

Ayelet Ronen, uma cristã messiânica diz que “quando Jesus veio, quando Yeshua veio, Ele veio para falar para o nosso povo. Ele caminhou na nossa terra, Ele falou a nossa língua nas nossas sinagogas, Ele realmente veio por nós!”.

A família Ronen vive em Yad-Hashmona, um povoado a pouco mais de 16 km de Jerusalém onde só vivem cristãos messiânicos, e creem Jesus – o que para eles é algo normal -, celebram as festividades judaicas, circuncidam seus filhos, respeitam o sábado e servem no exército. Por mais que tenham uma vizinhança messiânica, eles também convivem com o restante da sociedade israelense.

Quanto aos judeus messiânicos, podemos constatar na bíblia algumas passagens que comprovam a sua presença nos tempos bíblicos:

“E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor, e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, etodos são zeladores da lei (perceba que foi motivo de regozijo).” Atos 21:20

“E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes (note que eles permaneciam exercendo a sua função no judaísmo) obedecia à fé.” Atos 6:7

Os Ronens muitas vezes são considerados missionários – uma palavra considerada ofensiva em Israel -, mas eles insistem que não, declarando que compartilham a sua fé com quem desejar escutá-la e que jamais dizem que os outros “deveriam mudar”.

“Jesus disse que somos sal, devemos estar lá fora, e para brilharmos não podemos nos esconder”, confirma Daniel Ronen.

Com a recente onda de perseguição aos judeus messiânicos, a mídia passou a enfocar mais na questão. E pela primeira vez estão dizendo algo, inclusive, favoravelmente.

Os judeus norte-americanos Eddie e Jackie Santoro se tornaram messiânicos nos anos 70. “Eu disse: ‘Jesus, não sei se tu és real ou não, mas se estás aí, podes ter a minha vida, pois é tua e não minha’”, disse Eddie.

Asher Intrater, líder messiânico em Israel, conclui dizendo: “uma das nossas declarações-chave está em Romanos 11 e diz que todo Israel será salvo. Estamos focados não só no crescimento do Corpo de Cristo aqui, mas no retorno de Yeshua e que o Seu reino se estabeleça aqui na Terra”.

Fonte: Gospel+

Projeto de Billy Graham na internet leva mais de 450 mil pessoas ao evangelho

 

Billy Graham é considerado um dos maiores evangelistas do mundo, e através de suas pregações milhões de pessoas se converteram ao evangelho, e mesmo no auge dos seus 93 anos seu ministério continua em plena atividade, um dos novos projetos da Associação Billy Graham é a evangelização através da internet, que já levou mais de 400 mil pessoas ao evangelho.

A tática consiste em direcionar os internautas com questionamentos existenciais para um site denominado “Paz com Deus”, isso é feito através dos sites de busca. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”, a mensagem embasada no texto de João 3:16, começa a ser apresentada através de textos e vídeos.

Após apresentar a mensagem evangelística, o site propõe a oração para que a pessoa aceite a Jesus. Para contabilizar os novos convertidos, a Associação Billy Graham utiliza o Google Earth, marcando com pontos de luz os locais onde houve as conversões. Com pouco mais de um ano, o projeto já alcançou quase meio milhão de almas, segundo a Associação.

O site ainda disponibiliza um curso de discipulado online, com duração de cinco semanas, além da assistência de cristãos voluntários que se disponibilizam para responder as perguntas dos novos convertidos. “Se trata de tomar o modelo do que fazemos durante tantos anos, com cruzadas, celebrações, festivais e agora com aplicativo em ambiente online”, explicou John Cass, diretor de evangelismo do projeto.

Fonte: Gospel+

 

Antony Flew: a história do ateu mais influente do Século XX que se converteu através da ciência

 

 

O ex-ateu Antony Flew, que faleceu em 2010 aos 87 anos, era conhecido por seu ativismo contra a fé. Entre os ateus, era considerado o “Papa dos ateus” e muitos estudiosos e filósofos gostam de ilustrar sua influência comparando-o a Richard Dawkins, o mais famoso ateu da atualidade, dizendo que ele foi no século XX, o que o famoso ateu inglês é hoje para os ateus: um símbolo.

Porém, em 2004, ao abandonar o ateísmo, ele se tornou o maior exemplo dos religiosos que se importam com o debate sobre fé e ciência.

Em 2007, escreveu o livro “Há um Deus”, onde afirmava sua admiração pelo cristianismo, classificando como a religião que “mais claramente merece ser honrada e respeitada”, ressaltando também a influência do apóstolo Paulo na formação das bases conhecidas do cristianismo hoje, a quem classificava como “intelectual”.

No livro “Deus Existe”, Flew relata em parceria com Roy Abraham Yarghese que sua conversão se deu da forma mais convincente para um ateu: através da ciência. Um grande exemplo costumeiramente usado por filósofos ateus para refutar a teoria da criação, é a teoria do big-bang. Porém, para Flew, após anos de estudo e reflexão, a própria teoria do big bang era a prova do que o livro de Gênesis relata.

Em seus relatos, Antony Flew, que era filho de um pastor anglicano afirmava que sua busca por respostas na ciência, o levou à crença em Deus: “Segui a razão até onde ela me levou. E ela levou-me a aceitar a existência de um Ser auto-existente, imutável, imaterial, onipotente e onisciente”.

Fonte: Gospel+

 

Grupo de hackers muçulmanos promete atacar sites evangélicos e ameaça: “Cristãos, vocês morrerão em breve”

13 de agosto de 2012 

 

Um grupo de hackers adeptos do islamismo usou uma página do Facebook para atacar cristãos e ameaçar de morte os adeptos do cristianismo.

Comandados pelo hacker Michael John Khe, o grupo faz parte do Kelatan Hacking Crew, uma espécie de organização de hackers adeptos do islamismo, que pretendem promover um apagão na internet no próximo dia 14/08.

O ataque maciço planejado pelos hackers seria uma forma de protesto contra as novas leis de internet que começam a serem propostas por diversos governos.

Como parte dos ataques, o grupo Kelatan Hacking Crew prometeu em sua página no Facebook tirar diversos sites cristãos do ar e pregou a morte de seguidores do cristianismo numa publicação em inglês: “Cristãos, vocês morrerão em breve”.

Um dos sites cristãos atacados foi o da revista Cristianismo Hoje, versão em português da Cristianity Today. O ataque à página da revista na internet aconteceu na madrugada da última quinta-feira, 09/08, e foi assinado pelo hacker Michael John Khe.

A assessoria de imprensa da revista informou que a direção da empresa já tinha denunciado o grupo de hackers ao Facebook, pedindo a retirada da página por atividade criminosa e preconceito religioso: “Pedimos aos usuários evangélicos que façam o mesmo, além de recomendar aos editores de sites cristãos máxima cautela nas próximas semanas”, afirmou, segundo informações do Genizah.

Redação Gospel+

 

Atleta ganha medalha nas Olimpíadas e exibe Bíblia para a transmissão mundial como comemoração

10 de agosto de 2012 

 

O medalhista de prata no salto a distância nas Olimpíadas de Londres, o americano Will Claye, recebeu o apelido de “homem Bíblia”, por causa da forma com que comemorou a conquista na prova de atletismo. Além de se enrolar na bandeira de seu país, gesto comum entre os atletas, Claye surgiu diante das câmeras da transmissão mundial sorrindo e exibindo um exemplar da Bíblia.

O atleta, que ganhou a medalha de ouro no salto triplo no Mundial Indoor de Istambul (Turquia), em março, já havia ganhado um bronze no triplo no último sábado e fez história nos Jogos Olímpicos deste ano por ser o primeiro atleta negro a ganhar medalhas nas duas modalidades de salto, feito que não era repetido desde a Olimpíada do Japão, em 1936.

Em uma entrevista ao site Sports Spectrum, o atleta mostrou que exibir o Livro Sagrado do cristianismo não foi apenas uma comemoração comum, mas sim uma representação verdadeira de sua fé.

- Eu cresci em um lar cristão, mas só aceitei Jesus no segundo ano do Ensino Médio. Meu irmão me trouxe para mais perto de Deus e desde então eu sinto que esse é o caminho que Deus me deu, a fim de ser uma bênção para outras pessoas… Eu sinto que cada um tem um caminho a percorrer e é isso o que Ele tem para mim neste momento de minha vida – relatou o atleta.

Claye falou também da importância que a leitura constante da Bíblia e a as orações têm em sua caminhada de fé.

- A oração tem um grande papel. Basta abrir a boca e falar com Deus… Na minha mente, eu faço uma oração antes de cada salto… e isso é uma coisa muito importante no que eu faço – explicou o atleta, que revelou ainda que sempre lê uma passagem da Bíblia antes de competir.

Redação Gospel+

 

 “Porque ir à Igreja quando você pode assistir o culto online?”, pastor comenta a necessidade do cristão ir à igreja



 

Com o crescimento das transmissões de cultos de várias igrejas pela internet, e a comodidade de se assistir às pregações de casa, um questionamento que acaba surgindo entre alguns cristão é sobre a necessidade de estar presente fisicamente nos cultos.

Em um texto intitulado “Porque ir à Igreja quando você pode assistir o culto online?”, o pastor Tim Stevens, da Granger Community Church (Igreja da Comunidade de Granger), em Granger, no estado norte-americano de Indiana, comentou sobre a necessidade de o cristão ir à igreja.

O pastor afirma que, ao ficar em casa, o cristão possivelmente perderá o que Deus quer fazer através dele e para ele. Stevens faz ainda um paralelo entre ir à igreja e estar presente em compromissos familiares, no trabalho e até mesmo nas eleições. Ele afirma que o cristão não deve subestimar a importância de sua presença.

Leia mais...

Missionários cristãos comemoram evangelização de tribo de canibais conhecida como “caçadores de cabeça”

05 de agosto de 2012

 

A tribo dos Sawis, da ilha de Papua-Nova Guiné e Indonésia, era até 50 anos atrás conhecida como violentos e canibais, hostis a tribos vizinhas e isolado do mundo exterior. Anteriormente conhecidos também como headhunters (caçadores de cabeça), essa etnia teve sua realidade transformada, e tem hoje 85% de seu povo identificado como cristão

O povo de Papua não teve nenhum contato histórico com evangelistas muçulmanos, como aconteceu o resto da Indonésia. Porém, evangelistas cristãos se estabeleceram fortemente entre eles, levando a eles a mensagem do Evangelho.

O trabalho missionário na região começou em 1962, com os missionários Don e Carol Richardson, viajaram para a ilha de Nova Guiné, com seu filho Steve (agora presidente dos Pioneiros-EUA), na esperança de compartilhar o evangelho com o povo Sawi.

Nos 13 anos que viveram entre os Sawi, Don e Carol (que faleceu em 2004), aprenderam a língua Sawi e traduziram para eles o Novo Testamento. Eles plantaram ainda uma igreja e discipularam os líderes Sawi para cuidar do rebanho cada vez maior de crentes.

Em 2012, 50 anos depois da chegada dos Richardsons entre os Sawi, Don e seus três filhos, Steve, Shannon e Paul, voltaram para a Indonésia para uma festa de aniversário organizada pela igreja Sawi e outras quatro tribos vizinhas, que foram evangelizados depois dos povos Sawi.

Don conta que quando chegou pela primeira vez em meio à tribo encontrou um grupo de 200 canibais armados com lanças e adornados com pinturas de guerra, mas que dessa vez foram recebido com alegria pelos, agora, cristãos.

- Três gerações depois, os mesmos que nos receberam em 1962, recebeu-nos de novo, cantando músicas alegres, desta vez na língua nacional e na sua própria língua tribal – afirma o missionário, que afirma que essa foi a experiência mais maravilhosa de sua vida até agora.

- Fiquei impressionado e encorajado pela profundidade gratidão dos povos Sawi. 50 anos depois, pela vinda do evangelho e seu impacto sobre suas vidas – observou Steve, segundo o Charisma News.

Os relatos dos missionários com a tribo de canibais foram contados no livro best-seller, Criança da Paz, de Don Richardson.

Redação Gospel

Governo de Israel anuncia revitalização do Rio Jordão, local em que Jesus foi batizado por João Batista

04 de agosto de 2012

 

O governo de Israel anunciou recentemente um projeto de revitalização do leito do Rio Jordão. Importante nos relatos bíblicos, principalmente por ser o local onde Jesus foi batizado, o rio tem hoje apenas 5% do fluxo de água que tinha na época relatada nas Escrituras.

Desde sua fundação em 1948, o Estado de Israel lutava contra a falta de água, tendo no rio uma fonte importante para sua sobrevivência. Agora, o governo informou pela Companhia de água e energia que hoje tem água em excesso, e pode dar ao luxo de parar de “sangrar” o Jordão.

O diretor da Autoridade de drenagem de South Jordan, Ramon Ben Ari, afirma que o objetivo á fazer com que o rio onde Jesus foi batizado por João Batista, que tem parte do seu canal poluída ou assoreada, volte à sua antiga glória, relatada nas Sagradas Escrituras.

Explicando sobre a situação atual do rio, Ben Ari, explica que em algumas áreas “pode-se facilmente caminhar até o outro lado” porque quase toda a água que alimenta o rio é desviada pela Síria, Jordânia e Israel, antes de ir para o sul.

A situação atual pode ser mudada porque agora os israelenses reutilizam 75% das águas pelo tratamento, reaproveitando e diminuindo o desperdício e, no próximo ano, 85% da água potável utilizara no país virá de usinas de dessalinização. Com isso há mais água potável disponível, possibilitando revitalizar novamente os locais dos rios que estão com centenas de metros do seu leito com falta de água.

O ministro da Água e Energia, Uzi Landau, explicou que uma média de 150 milhões de metros cúbicos de água serão transferidos anualmente para o rio do Mar da Galileia.

- Em dez anos, eliminar a nossa dívida com a natureza – afirma.

Além dos benefícios ambientais, a revitalização servirá também para fortalecer o turismo na região, visto que o Jordão é um local procurado por cristãos de todo o mundo, que querem ser batizados no mesmo rio que Jesus.

Além da transferência de recursos hídricos do Mar da Galileia, o governo planeja gastar dezenas de milhões de dólares para limpar o Vale do Jordão e dar um impulso ao turismo com a instalação de acampamentos e pousadas ao longo de suas margens, e está construindo também uma planta de tratamento de resíduos no extremo sul do Mar da Galileia.

- Estes peregrinos organizar a sua viagem à Terra Santa para visitarem as águas do rio Jordão. Quando o rio Jordão for revitalizado, ele irá influenciar diretamente nas agendas de turismo e será incluído definitivamente no itinerário dos turistas – disse o ministro do Turismo, Stas Misezhnikov.

De acordo com o Noticias Cristianas, o esforço inclui também a recuperação de algumas áreas da margem sul do rio, que corre ao longo da fronteira entre a Jordânia e Israel, onde ainda existem minas terrestres remanescentes das duas guerras travadas entre os dois países.

Redação Gospel+

 

Justiça sentencia acusado de causar morte em acidente automobilístico a frequentar cultos em igreja evangélica

18 de julho de 2012 

 

O Tribunal de Justiça de Goiás divulgou em seu site uma sentença de dois anos contra Augusto César Fonseca Nascimento por ter causado acidente automobilístico que resultou na morte de Pedro Villas Boas Barcellos, no dia 25 de novembro de 2001.

A curiosidade da sentença está no fato de que os atenuantes levaram a juíza da 3ª Vara Criminal, Dra. Edna Maria Ramos da Hora a definir a pena do acusado como dois anos de prestação de serviços comunitários e frequentar cultos religiosos aos sábados e domingos no período, além da proibição de dirigir e ingerir bebidas alcoolicas.

processo 200500712179 traz o depoimento do policial que atendeu a ocorrência à época, e relata que Nascimento conduzia um veículo modelo Uno 1993 quando voltava de uma festa, e que o réu havia capotado o veículo, o que causou as lesões que resultaram na morte de Barcellos.

A sentença proferida em 16 de maio de 2012 define ainda que a prestação de serviços comunitários deverá ocorrer junto à Missão Vida de Anápolis, Goiás, entidade local ligada à Igreja Presbiteriana, por sete horas semanais, de forma que não prejudique o exercício de sua função como técnico de informática.

A Dra. Edna Maria Ramos da Hora define ainda que a frequência do sentenciado aos cultos religiosos deverá ser comprovada com atestados.

Esse tipo de sentença, em que o réu não possui antecedentes criminais, e que sua pena é substituída por serviços comunitários tem se tornado comum no Brasil, mas com a obrigação de que o réu frequente cultos, ainda é raro. Em países como os Estados Unidos, a imprensa mundial já noticiou casos semelhantes, porém nenhum dos casos tinha a morte de um cidadão envolvida.

Fonte: Gospel+

 

 Olimpíadas 2012: Missionários cristãos levam “Ônibus do Louvor” para as ruas de Londres

01 de agosto de 2012 

 

Um grupo de missionários do projeto “Mais do que Ouro” (More than Gold), engajados na evangelização durante os jogos olímpicos de Londres, levou para as ruas do trajeto da tocha olímpica o “Ônibus do Louvor”.

Criado com uma ideia surgida entre os membros da Igreja Metodista Escalls, o ônibus de 2 andares, com o teto aberto para acolher os músicos e cantores, percorreu as ruas à frente da tocha olímpica desde quando ela chegou ao País de Gales, passando pela Escócia e finalmente Inglaterra (Londres).

Por mais de 13 mil quilômetros o ônibus levou louvor a Deus através de musicas cristãs, a todos que esperava a passagem da tocha Olímpica.

- A atmosfera em Londres era de muita alegria e foi absolutamente incrível. As pessoas dançavam na rua, até policiais foram movidos pela música, foi muito maravilhoso – afirmou Christine Bonfield, membro da Escalls que coordenou o projeto.

- Tivemos alguns músicos realmente fantásticos, incluindo uma banda brasileira. Alguns dos músicos disseram que estar na estrada foi uma experiência de mudança de vida. Milhares de pessoas fotografaram o ônibus, já que ele passou em todo o país – completou.

As diversas bandas e músicos foram coordenados no palco móvel por Allison Humphries, que destacou a emoção provocada pelo trabalho.

- Os músicos vieram de diferentes igrejas e foi emocionante ver como eles interagiam uns com os outros. Mas a melhor coisa foi a reação das multidões. O ônibus foi aceito por todos – afirmou Humphries.

Redação Gospel+

 

Jovens missionários montam “Estações de Oração” para evangelizar e orar por pessoas nas ruas

01 de agosto de 2012 

Jovens missionários montaram uma operação denominada “Estação de Oração” e instalaram cabines nas ruas de Nova York, oferecendo às pessoas um momento de prece a Deus.

A iniciativa está sendo realizada por integrantes da filial da instituição Jovens Com Uma Missão (JOCUM) em Virginia, Estados Unidos, em parceria com o reverendo Don Geraci.

O objetivo, segundo Geraci, é reaproximar as pessoas de Deus, e cita o caso do ataque terrorista de 11/09: “Quando aconteceu a tragédia as pessoas se voltaram para Deus. Mas logo depois, elas já não se voltaram mais. Eu sinto que na América as pessoas estão virando as costas para Deus. Além da tragédia, coisas estão acontecendo, como na economia, e nós vimos também a recente tragédia de Colorado”, afirmou em entrevista The Christian Post, fazendo referência ao caso do “atirador do cinema”.

Para o reverendo, é importante oferecer às pessoas uma forma de se aproximarem de Deus: “Nós queremos dar uma oportunidade de oração para as pessoas saberem que elas podem se voltar a Deus. Que Ele pode escutar e responder suas orações”, disse Don.

Nick Savoca, responsável pela unidade da JOCUM que está promovendo a ação, afirmou no site da instituição que as “Estações de Oração” são acima de tudo, evangelísticas: “Elas dão oportunidades para as pessoas se conectarem com outras pessoas de uma forma não conflituosa, trocando nomes e sorrisos, uma breve palavra de oração, sendo a pessoa cristã ou não”, afirmou.

Redação Gospel+

 

Trabalho de missionários cristãos em Londres começa com o revezamento da tocha olímpica, e abertura das Olimpíadas

28 de julho de 2012 

 

Os missionários participantes do projeto Mais do que Ouro (More than Gold), engajados na evangelização durante os jogos olímpicos de Londres, já estão “prestes a alcançar seus próprios recordes de envolvimento da Igreja nos Jogos Olímpicos”, segundo o Christian Today.

A mobilização das igrejas envolvidas no projeto começou com o revezamento da tocha olímpica, quando as comunidades cristãs fizeram um revezamento de oração acompanhando o trajeto do símbolo dos jogos pelo país. De acordo com o site oficial do projeto, morethangold.org, foram mais de 1.000 comunidades envolvidas no revezamento, que terminou nessa sexta feira (27), com a abertura oficial das competições.

Com o início oficial do evento, as atividades do grupo incluem ainda hospedagem de famílias de atletas, clubes infantis, festas de rua, noites de ‘quiz’, cafés da comunidade, celebrações especiais da igreja e de férias em casa.

- Esta é a maior resposta da igreja na história olímpica, vamos dedicar o nosso melhor – servir comunidades e os milhares de visitantes internacionais – afirmou o executivo-chefe (CEO) do Mais do que Ouro, David Willson.

Willson informou ainda que o Mais que o Ouro está executando um programa de estadia para a família do atleta. Cristãos oferecem alojamento gratuito para mais de 350 parentes de atletas que de outra forma seriam incapazes de participar do evento.

Com a participação de voluntário de 40 países, de lugares como a Austrália e Jamaica, e Brasil, o grupo realizará cerca de 700 apresentações gratuitas durante os Jogos, com músicos, dançarinos e artistas visuais. Além disso, o Exército de Salvação está liderando as equipes que irão distribuir água para os visitantes e espectadores, e cerca de 300 pastores voluntários ajudarão os visitantes a percorrerem seus caminhos através dos principais centros de transportes da capital inglesa.

Redação Gospel+

 

Apesar de comemorar 100 milhões de exemplares, secretário afirma que SBB não consegue atender a demanda de Bíblias do Brasil

15 de junho de 2011

 

Na última semana a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) comemorou a marca de 100 milhões de Bíblias produzidas. O número apesar de importante esconde um outro fato: a produção ainda é insuficiente e não atende ao número de evangélicos no Brasil. A informação foi dada pelo Secretário de comunicação da entidade, Erni Seibert. Para atender a tiragem teria que ser duplicada.

Em entrevista, Seibert detalhou em números a produção de Bíblias em território nacional, produção essa que ocupa o topo nos números das Sociedades Bíblicas mundo afora. Por ano, cerca de seis milhões de exemplares são impressos pela entidade brasileira, dos quais 20% são exportados para mais de 100 países nos cinco continentes. Um quinto de toda a produção das Sociedades Bíblicas estrangeiras (30 milhões) e o dobro do que se produzia há seis anos.

Mas se produz tanto, por que afirmar que o número é insuficiente? Seibert explica: “Ter uma Bíblia, em primeiro lugar, não significa lê-la. Em segundo, se pegarmos o número de habitantes no Brasil (cerca de 190 milhões, segundo IBGE), vemos que a demanda é muito maior do que podemos atender, mesmo com o crescimento de nosso trabalho”.

Seibert calcula que, para que cada brasileiro tenha uma Bíblia aos quinze anos de idade, será preciso uma quantidade mínima de 12 milhões de exemplares produzidos em um ano. O desafio não é fácil, e pode se tornar ainda mais complicado. Estima-se que a quantidade de evangélicos no Brasil chegue a 109 milhões de pessoas até 2020, projeção que já dá sinais de certa se levados em conta os números de 2010 divulgados pelo Instituo Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE): 19% de toda a população nacional.

De cara, uma produção eficiente não seria impossível se houvessem mais editoras produzindo Bíblias no Brasil. Para Seibert, o projeto esbarra no interesse comercial. Na região Norte do Brasil, por exemplo, não há um trabalho de produção forte e Seibert aponta a razão: “O eixo Sudeste/Sul é mais vantajoso e prático, do ponto de vista empresarial. Nos últimos dez anos, muitas editoras de Bíblias fecharam as portas por não obterem o retorno esperado e outras preferem não arriscar em regiões afastadas” explica, ao destacar a postura da SBB nestas mesmas regiões ‘menos interessantes’. “Não somos uma editora, somos uma entidade. Por isso trabalhamos e investimos em lugares que não dão lucro. Nossa proposta é diferente”.

Com a marca de 100 milhões de Bíblias impressas, Seibert diz estar motivado a aumentar a produção anual da SBB, que deve ficar em torno de sete milhões nos próximos anos, aumentando inclusive a produção de exemplares segmentados como a ‘Bíblia da mulher’ e a ‘Bíblia do surfista’. “A segmentação é importante, a partir do momento em que se reconhece uma necessidade de fazê-la” finaliza.

Fonte: Creio

 

Ministérios cristãos preparam tradução da Bíblia para dialetos falados por ciganos brasileiros

28 de julho de 2012 

 

Um grupo de ministério cristãos brasileiros se reuniram para um trabalho inédito no campo missionário: a tradução da Bíblia para os dialetos falados pelos ciganos no Brasil.
Visto que alguns ciganos proíbem o ensino da língua portuguesa, os ministérios Missão Amigos dos Ciganos, Missão Além e ministérios de tradução se reuniram para disponibilizar a Bíblia Sagrada para os ciganos brasileiros em sua própria língua.

O pastor Igor Shimura, da Missão Amigos dos Ciganos, falou à Ultimato sobre a importância do trabalho.

- Traduzir a Bíblia para essa população representa transformação de valores e realidades: da exclusão para a inclusão social, do analfabetismo para a alfabetização, dos aros de violência para a paz, da divisão dos grupos para a união em torno do Deus Criador, das diversas divindades para o conhecimento do único Deus, Jesus Cristo – afirmou Shimura.

Não existem dados estatísticos concretos sobre a população cigana no Brasil, mas estima-se que eles sejam entre 600 e 1 milhão de pessoas por todo o país, segundo informações da Missão Além.

Essa população cigana é dividida no Brasil em três grupos: os Sinti, Rom e Calon, e o trabalho de tradução visa alcançar todos eles. O Calon será o primeiro grupo beneficiado com o trabalho, com a tradução do Novo Testamento em “chibi”, seu dialeto.

Até hoje, o único material bíblico conhecido e publicado na língua do grupo calon é “El Evangelio de San Lucas en Caló”. Esse material, que é uma realização do missionário George Borrow em 1836, foi feito no dialeto calon da Espanha, bastante diferente do calon brasileiro.

Segundo o The Christian Post, o grupo de tradutores já está realizando a tradução do Evangelho de Lucas, e o trabalho tem previsão para ser concluído em dois anos. O projeto inclui ainda o desenvolvimento de materiais audiovisuais para alcançar os ciganos não alfabetizados, como CDs, DVDs e gravações da tradução.

Redação Gospel+

 

Voluntários da Junta de Missões Mundiais viajam para trabalho missionário nas Olimpíadas de Londres

21 de julho de 2012

 

Na última terça feira um grupo de 180 voluntários da Junta de Missões Mundiais partiram em direção a Londres na caravana Conexão Londres 2012, onde farão um trabalho missionário durante as Olimpíadas que acontecem de 27 de julho a 12 de agosto. O grupo vai primeiro para Sevilha, na Espanha, onde fará um período de preparação até chegar à capital britânica.

Liderados pelo Pr. Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário (PEM) e do Setor de Voluntários da JMM, os voluntários servirão às pessoas presentes nos jogos olímpicos com atividades evangelísticas nas áreas de esportes, capelania, assistência social, atividades infantis e artes.

O Seminário de Spurgeon é um dos locais que servirá como hospedagem para os missionários. O lugar leva este nome em homenagem ao pregador batista reformado Charles Haddon Spurgeon, conhecido no auge da igreja inglesa como o “príncipe dos pregadores”.

Segundo a JMM a realidade na Europa hoje é, infelizmente, distante daquela vivida pelo cristianismo nos tempos de Spurgeon, visto que milhares de igrejas no continente fecham suas portas para dar lugar a mesquitas, shoppings e boates. A Junta de Missões pede também que cristãos do Brasil e do mundo todo apoiem o trabalho com suas orações.

- Esteja conosco nesta viagem através de suas orações. Missões Mundiais dá um crédito muito grande a eventos esportivos internacionais. Já estivemos na Copa do Mundo, nas Olimpíadas e nos Jogos Pan-Americanos. Onde estiver gente do mundo inteiro, lá estaremos para levar o Evangelho do Senhor Jesus – declara o Pr. Marcos Grava.

Com os resultados desse trabalho, a JMM afirma esperar poder contribuir melhor em ações evangelísticas nos próximos eventos esportivos que acontecerão no Brasil, como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Redação Gospel+

 

Cristão pode namorar com incrédulos? Pastor Renato Vargens afirma que “a Bíblia não recomenda”. Leia na íntegra

20 de julho de 2012

 

O namoro entre cristãos e pessoas não convertidas ao evangelho é um assunto que gera debates acalorados entre jovens evangélicos e suas lideranças.

A favor, os adeptos da liberdade de namorar, noivar e casar com pessoas que professam outra fé afirmam que esse pode ser um meio de aproximá-los de Cristo, enquanto que os contrários, afirmam que a Bíblia proíbe uniões desse tipo.

O pastor Renato Vargens publicou em seu blog um artigo sobre o tema, e se posicionou claramente contra o namoro entre cristãos e não cristãos: “enumerar inúmeras razões porque não concordo com o namoro entre cristãos e não cristãos, mas, vou citar somente uma: A Bíblia, a Palavra de Deus não recomenda”.

Segundo Vargens, quem argumenta contra essa recomendação dizendo que trata-se de “caretice” desconhece o “ensino bíblico de que não devemos nos colocar em jugo desigual com os incrédulos”, citando a passagem bíblica de II Coríntios 6:14.

O pastor frisa que “o fato de existirem discrepâncias espirituais pode proporcionar um seriíssimo problema relacional entre aqueles que se gostam”, e cita ainda a confissão de fé de Westminster, que não recomenda o casamento entre um cristão e um incrédulo nessa fé.

Confira abaixo a íntegra do artigo “Razões porque está errado o namoro entre cristãos e não cristãos”, do pastor Renato Vargens:

Eu poderia enumerar inúmeras razões porque não concordo com o namoro entre cristãos e não cristãos, mas, vou citar somente uma: A Bíblia, a Palavra de Deus não recomenda.

Talvez ao ler essa afirmação você esteja dizendo consigo mesmo: Que coisa ultrapassada! Qual é o problema? Não tem nada demais. Eu posso evangelizá-lo e levá-lo para a igreja. Vai ver que essa é forma dele conhecer a Cristo! Ah! Que caretice! Isso é palhaçada! Esse tempo já passou!

Pois é, é comum ouvirmos de nossos adolescentes e jovens frases como estas. Para muitos deles não existe o menor problema em namorar um não cristão. Entretanto, o que talvez eles desconheçam é o ensino bíblico de que não devemos nos colocar em jugo desigual com os incrédulos (II Co 6.14). “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?”.

Para Calvino, o jugo desigual era nada menos que manter comunhão com as obras infrutíferas das trevas e estender-lhes a destra de companhia. Em outras palavras isto significa estar ligado ao mesmo tempo, lado a lado na mesma canga. É a metáfora dos bois ou cavalos que têm de andar juntos, desfrutando das mesmas práticas, porque estão presos na mesma canga.

Caro leitor, escolher uma pessoa que compartilha da mesma fé e sonhos é fundamental a construção de um namoro equilibrado e saudável. Como escrevi no meu livro “Namoro.com”, o namoro deve ocorrer entre pessoas que estejam em igualdade de situações. O fato de existir discrepâncias espirituais pode proporcionar um seriíssimo problema relacional entre aqueles que se gostam.

Do ponto de visto bíblico o namoro entre não cristãos e cristãos é absolutamente desaconselhável. Paulo, ao escrever aos coríntios ordena que um cristão ao se casar, deve fazê-lo “somente no Senhor”. Obviamente isso proíbe o casamento com incrédulos e, portanto, namorá-los.

Vale a pena lembrar o que a Confissão de Fé de Westminster diz a respeito do casamento entre cristãos e não cristãos: “A todos os que são capazes de dar um consentimento ajuizado, é lícito casar, mas é dever dos cristãos casar somente no Senhor; portanto, os que professam a verdadeira religião reformada não devem casar-se com infiéis, papistas ou outros idólatras; nem os piedosos prender-se a jugo desigual por meio do casamento com os que são notoriamente ímpios em suas vidas, ou que mantêm heresias perniciosas”

Isto, posto, afirmo sem titubeios que uma aliança não aprovada por Deus proporciona consequências terríveis para o cristão. Como bem disse o meu amigo Mário Freitas, não existe pecadinho e pecadão e sim “Consequênciazinhas e consequêciazões”.

Pense nisso!

Renato Vargens

Fonte: Gospel+

 

Estilista cristã desenvolve linha de “maiôs evangélicos” para não marcar o corpo: “Escolhi me cobrir para glorificar a Deus”

17 de julho de 2012 

 

Uma estilista cristã canadense desenvolveu um “maiô evangélico”, que preserva a intimidade não marcando as curvas do corpo.

Crystal Hyben afirmou em entrevista ao Huffington Post que a linha de maiôs evangélicos Simply Modest (em tradução literal do inglês, simplesmente modesta) cobre as coxas, barriga, busto e parte do ombro.

A estilista diz que o motivo de desenvolver o maiô com esse formato está ligado à sua vontade de exaltar a Deus e preservar seu corpo para o futuro marido: “Eu escolhi me cobrir porque eu quero glorificar a Deus com o meu corpo, e me cuidar para o meu futuro marido, se eu vier a me casar”, declarou Crystal.

O tema modéstia para sua marca de maiôs evangélicos foi escolhido por seu princípio de preservação da intimidade: “A modéstia sempre foi importante para mim, pois acredito que a nossa sexualidade é um dom incrível de Deus, é algo que deve ser protegido, não colocado em exposição para ser vista por todos os olhos”, pontua.

O design escolhido pela estilista gerou comparações com a burca, tradicional vestimenta islâmica usada por mulheres adeptas da religião e recebeu apelido de “Burquíni”.

Veja fotos:

 

Fonte: Gospel+

 

Pesquisa revela que pastores podem ter depressão e doenças crônicas motivadas por preocupação com fiéis

12 de julho de 2012 

 

Um estudo realizado pela Universidade Duke, nos Estados Unidos, revelou que o ofício pastoral pode causar danos graves à saúde do pastor. A pesquisa realizada entre pastores da Carolina do Norte mostrou que o fato de eles se preocuparem excessivamente com os fiéis pode levá-los a adquirir doenças crônicas e depressão.

Rae Jean Proeschold-Bell, diretor de pesquisas e professor no Instituto de Saúde Global da Universidade de Duke, comentou sobre o resultado do estudo, “Os pastores reconhecem a importância de cuidar de si mesmos, mas, isso fica em segundo plano quando comparado com as suas responsabilidades profissionais, que inclui cuidar da comunidade”.

Os números da pesquisa revelam que mais de 10% dos pastores são depressivos, o que representa quase a metade da média nacional, e ainda tem os que adquirirem doenças crônicas como diabetes, asma, artrite e hipertensão. Além da má alimentação, a pressão interna para que o pastor seja exemplo, viva fielmente, apoie a comunidade, etc, contribuem para a evolução das doenças.

Outros estudos semelhantes já foram realizados, como por exemplo, um feito pela Igreja Luterana, que apresentou resultados parecidos, apontando vários pastores com problemas de saúde física e mental.

Fonte: Gospel+

 

Cresce o número de evangélicos sem denominação e em igrejas pequenas

10 de julho de 2012 

 

De acordo com o Censo, que publicou os números sobre a religião no Brasil, o número de evangélicos sem laços com alguma igreja específica aumentou mais de quatro vezes na última década, enquanto a quantidade de fiéis que frequentam templos menores cresceu 62% nesse período.

Em São Paulo, esses evangélicos somam o 825 mil fiéis, e são reesposáveis por 96% do crescimento do rebanho evangélico da capital do estado. Na conta do censo entraram conta os que se dizem apenas evangélicos, sem especificar a igreja ou a corrente, os que frequentam cultos diferentes e os que fazem parte de pequenas igrejas não pentecostais.

Em São Paulo, o crescimento dos evangélicos não determinados perde para os católicos e os sem religião, mas ultrapassaram a Assembleia de Deus, denominação evangélica que tem o terceiro maior rebanho do País.

Ronaldo de Almeida, antropólogo da Unicamp e do Cebrap, esse crescimento tem muita influência no fato de que os evangélicos estão mais desligados das denominações

- Há uma diversificação e uma maior infidelidade a uma instituição específica. O sujeito ainda se identifica principalmente como evangélico, mas hoje ele molda sua experiência religiosa. Quando quer ouvir um louvor com mais música, vai a uma igreja, quando quer cura, vai à outra, quando busca mensagem espiritual mais forte, busca outras – afirmou o antropólogo.

De acordo com o Estadão, a professora Diana Nogueira, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, também comentou o crescimento, e fez um paralelo com pessoas que querem perder peso e vão migrando de médico em médico,

O vereador evangélico Carlos Apolinário (DEM) também comentou a pesquisa: – O crescimento das igrejas evangélicas menores é muito visível. São as chamadas comunidades. Seus fundadores são pastores que já pertenceram a igrejas evangélicas maiores.

Fonte: Gospel+

 

Entre os anos 2000 e 2010, população evangélica cresceu 61%, afirma IBGE. Confira dados

29 de junho de 2012 

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados comparativos entre os censos realizados nos anos 2000 e 2010 sobre religião, e apontou crescimento de 61,45% dos evangélicos nos últimos dez anos.

De acordo com o comparativo, no ano 2000, cerca de 26,2 milhões de brasileiros se declaravam evangélicos, quantidade correspondente a 15,4% da população, e no ano de 2010, a quantidade de brasileiros que se identificaram como evangélicos saltou para 42,3 milhões, ou 22,2% da população do país. Nos dados do censo de 1991, o percentual de evangélicos na população brasileira era de 9%.

Mesmo com esse crescimento, a maioria da população brasileira ainda é católica, embora a perda de fiéis proporcionalmente ao crescimento da população seja constante. Desde o ano em que foi realizado o primeiro censo, 1870, os católicos eram 99,7% da população, e em 2010, somam 73,6% dos brasileiros, de acordo com informações do G1.

O crescimento dos evangélicos está diretamente ligado à diminuição da quantidade de católicos, e nas regiões Norte e Nordeste, o dado comparativo do IBGE aponta com maior clareza esses números.

Entre 2000 e 2010, a maior redução percentual de católicos foi na região Norte, que passou de 71,3% para 60,6% da população, enquanto que os evangélicos saltaram de 19,8% para 28,5%.

Já na região Nordeste, os evangélicos cresceram de 10,3% da população, para 16,4% nos últimos dez anos.

O estado brasileiro com menor percentual de católicos é o Rio de Janeiro, com 45,8%. O estado fluminense também registrou a maior concentração de espíritas do Brasil, com 4% da população.

O estado brasileiro que registra a maior concentração de evangélicos, proporcionalmente, é Rondônia, onde 33,8% dos habitantes se declararam adeptos da doutrina evangélica. O estado do Piauí foi onde a menor presença de evangélicos foi registrada, com 9,7%.

O IBGE divulgou também, dados comparativos entre religião e formação escolar, e dentre os evangélicos, 6,2% não possuem instrução, e 42,3% afirmam ter o ensino fundamental incompleto.

pastor Márcio de Souza comentou a divulgação dos dados e demonstrou preocupação com os reais motivos do crescimento: “Por trás dessa explosão demográfica evangélica, devemos pensar no que tem gerado esse crescimento em nosso meio. Será a ‘fama’ de que crente prospera ou o afã de responder o chamado divino para a ‘Missio dei’? Será que estamos atentando muito para a quantidade e deixado a qualidade de lado?”, questiona Souza.

Segundo o colunista do Gospel+, o parâmetro para visualizar os efeitos do crescimento dos evangélicos é a realidade social: “Um bom termômetro para isso é olhar a situação de desigualdade social e injustiça no país. Quando Calvino pregou o evangelho em Genebra, a cidade deixou de ser um pulgueiro onde pessoas jogavam fezes pelas janelas de casa e passou a ser uma referência de civilidade, justiça social e respeito ao direito do outro. Sem contar que o trabalho foi dignificado e reconhecido como ferramenta de Deus para nos prosperar”, observa.

Para Márcio, o crescimento em números dos evangélicos não tem refletido na sociedade de forma que a transforme: “Hoje, somos 42 milhões e os lixões continuam cheios de crianças sendo exploradas, gente brigando com cães e urubus o pão de cada dia, as favelas continuam a se multiplicar, o tráfico de drogas continua a recrutar nossos meninos e o nosso índice com relação à distribuição de renda e desenvolvimento humano só não é pior que o de Serra Leoa e algumas republiquetas africanas. Se o Evangelho vigente no Brasil seguisse a doutrina dos apóstolos, o país seria outro. Não teríamos pastores milionários e crianças famintas. precisamos pensar se não estamos transformando lobos em bodes ao invés de ovelhas”, critica o pastor.

Para ler a íntegra do artigo “Explosão Evangélica! Somos 42 milhões! E dai?”, de Márcio de Souza em sua página, acesse este link.

De acordo com o censo, o número de pessoas sem religião cresceu entre os anos 2000 e 2010, passando de 12,5 milhões para 15 milhões.

Confira abaixo, infográficos retirados do site Estadão Dados, com comparativos entre a quantidade e crescimento de adeptos da religião evangélica com as outras religiões no Brasil, entre os anos 1940 e 2010:

 

Gráfico comparativo de religiões entre os anos 1940 e 2010

 

Status atual das religiões no Brasil

Fonte: Gospel+

 

Criticando participação de igrejas nas eleições, pastor Ariovaldo Ramos afirma que “igreja não faz política partidária”

30 de junho de 2012 

 

Com a iminência das eleições municipais desse ano, um dos assuntos que mais vem sendo discutidos é a participação da igreja evangélica no processo eleitoral. Em diversas cidades, como o Rio de Janeiro, o apoio de igrejas evangélicas já é considerado um ponto estratégico importante para os candidatos.

Diante dos constantes apoios de pastores a partidos e candidatos, o pastor Ariovaldo Ramos deu uma declaração rechaçando os líderes cristãos que fazem alianças políticas em nome das instituições religiosas que representam. De acordo com o pastor, a Igreja não deve se envolver diretamente nos processos eleitorais.

- A Igreja se mantém isenta, porque é a palavra de profecia, ética e moral. Nosso envolvimento com a política é com ‘P’ maiúsculo, nunca política partidária. – afirmou o pastor, durante a Marcha para Jesus em Guarulhos, na última semana.

Pastor da Igreja Batista Água Branca ao lado de Ed René Kvitz, Ariovaldo Ramos é também escritor, teólogo e diretor da Faculdade Latino-Americana de Teologia Integral (FLAM).

De acordo com o site Creio, o pastor “detonou” os pastores que fazem alianças partidárias, e orientou os líderes cristãos a exortarem suas ovelhas a fazer política em prol da melhoria do cidadão, discutindo pontos importantes para suas cidades.

Fonte: Gospel+

 

Aplicativo de celular pretende substituir cultos religiosos

 

Os aplicativos são ferramentas de telefonia móvel que a cada dia ficam mais populares. Qualquer pessoa que use um smartphone pode ter acesso fácil ao painel de controle web para fazer diversas coisas, inclusive ir à igreja. Ou melhor, levar a igreja consigo onde ela estiver.

O serviço Your Mobile Church é como o nome indica, uma igreja móvel. As pessoas terão a igreja na ponta dos dedos, literalmente, podendo de uma maneira fácil ouvir ou assistir sermões, fazer um pedido de oração, ouvir a leitura diária da Bíblia ou até mesmo enviar seu dízimo ou oferta através de uma mensagem de texto.

Por um tempo limitado, a empresa está oferecendo o aplicativo para celular gratuitamente, desejando com isso que as igrejas se ofereçam para prover conteúdo. Parte do serviço é o Mopin, uma carteira virtual que permite que os membros da igreja possam facilmente fazer ofertas através de uma simples mensagem de texto, o valor poderá vir na próxima conta do celular ou do cartão de crédito.

Ao combinar esses serviços de mensagens de texto, Internet e aplicativo, as igrejas podem dizer que chegaram no século 21, afirma o site da empresa.

“Sendo uma igreja de tamanho médio, não podíamos pensar em ter um aplicativo por causa do custo que isso gera… No entanto, nossa igreja está cheia de jovens e eu sabia que precisávamos de algo assim”, explica o pastor Shan Smith da Igreja Cristã Ágape. “Esses serviços online, os membros de nossa igreja poderão agora manter-se informados de todas as atividades da igreja em seu telefone. Além disso, eu posso enviar a eles versículos e meditações diárias através de mensagem de texto”, concluiu.

Depois de anos servindo ao mercado de igrejas com diferentes serviços na área de software, a BGW lançou www.yourmobilechurch.com em janeiro deste ano, entendendo que muitas pessoas por um motivo ou outro não vão ao culto no domingo mas mesmo assim saberão o que está acontecendo e poderão participar da igreja de maneira “virtual”.

Traduzido e adaptado de Christian News Wire

 

Secretaria do Meio Ambiente de João Pessoa discute poluição sonora causada por igrejas evangélicas

16 de junho de 2012 

 

Na última semana foi discutida na Câmara Municipal de João Pessoa (PB), a criação de um Termo de Ajustamento de Conduta para tratar do barulho emitido por igrejas evangélicas na cidade.

Se reuniram para tratar do assunto na Câmara Municipal da capital paraibana, diversos pastores e representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM), na ocasião foram discutidas as denúncias de poluição sonora provocada pelos templos evangélicos.

A audiência pública foi proposta pela vereadora Eliza Virgínia (PSDB), que lembrou que a Igreja tem papel fundamental para a sociedade e enfatizou que os Templos são ponto de transformação de vidas. Segundo Eliza, os hospitais tratam dos ferimentos físicos, enquanto as Igrejas “são hospitais das almas, pois, ao aceitar a palavra de Jesus, o ser se modifica”.

“Nossa conversa pretende mostrar a situação de forma ordeira e pacífica. Igrejas vêm sofrendo com as visitas da Semam, que muitas vezes não são amistosas. As Igrejas têm a manifestação de fé resguardada por lei, com a proteção dos locais de cultos religiosos. Nós observamos que não existem denúncias de bares, shows e carros. A Igreja está sofrendo constrangimento, e esperamos conhecer as normas que regem esse tema”.

De acordo com o site Mais PB, participaram também da discussão o Pastor Edmílson (PRB), que secretariou os trabalhos, e os seguintes representantes: da Semam, Maria Aparecida Correia; do Batalhão Ambiental e a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Sudema), capitão Tibério; da delegacia do Meio Ambiente, Erick Germano; e o procurador da Sudema, André Batista.

Correia enfatizou as denúncias de poluição sonora, disse que e necessário que se respeite o nível de decibéis permitido, que é aferido nos locais onde surgem denúncias para garantir proteção acústica para a população.

“A emissão de ruído acima do permitido por lei é maléfica não só para o aparelho auditivo, como também para todo o organismo humano. As pessoas que estão fora de determinados eventos estão protegidas da poluição sonora pela legislação. Sou favorável à manifestação de cultos religiosos, mas dentro das normas estabelecidas, mesmo porque as pessoas que participam dos eventos também sofrerão com os efeitos desse som acima do permitido”, esclareceu André Batista, frisando que apesar de serem resguardados pela lei, os cultos evangélicos não podem se opor a outras legislações.

Os pastores presentes ressaltaram a importância da Igreja para a sociedade, e cobraram o respeito à liberdade de culto religioso. Os líderes religiosos pediram também prazos para regulamentação dos templos ao Termo de Conduta.

Fonte: Gospel+

Programa infantil de TV palestina ensina o ódio contra cristãos e judeus. Assista na íntegra

21 de junho de 2012 

 

Um programa infantil transmitido na Palestina chamou a atenção do mundo ao mostrar uma menina recitando um poema de ódio contra cristãos e judeus. Divulgado pela Palestinian Media Watch, o vídeo mostra uma menina recitando um poema em que afirma que os judeus e os cristãos são “inferiores, covardes e desprezíveis”, e apela para que os muçulmanos se levantem contra os seus inimigos.

As traduções para o inglês do programa, originalmente em árabe, foram fornecidas pela Palestinian Media Watch, um instituto de pesquisa israelense que estuda a sociedade palestina, monitorando os seus meios e as mensagens que ele transmite. O instituto descreveu poema da menina como “um poema de ódio”.

De acordo com o The Christian Post, a mesma menina aparece em outro vídeo dizendo: “Nosso inimigo, Sião, é Satanás com uma cauda. Nossa divisão é causada por suas mãos [governantes árabes]. Que suas mãos sejam cortadas. Estamos fartos de nossa divisão, enquanto todas as pessoas estão se unindo”.

Leia na íntegra uma tradução do poema recitado pela menina:

“Os ocupantes roubaram a minha terra e a terra do meu avô.

Onde está a sua espada, Khaled [guerreiro árabe]?

Onde está a vossa coragem, Saladino [conquistador muçulmano]?

Mas ninguém me respondeu onde está… a minha arma eu achei.

Uma pedra eu peguei e joguei contra os inimigos do meu destino.

Eu ensino ao mundo que os muçulmanos em nome de Deus não podem ser derrotados…

Eles nos desafiam com a Casa Branca, e nós os desafiamos com o despertar [islâmico] e a Kaaba [local sagrado em Meca].

Eles não são mais fortes que Khosrau e César [governantes da Pérsia e do império Bizantino].

Eles [os cristãos e judeus] são inferiores e menores, mais covardes e desprezíveis

Eles são os remanescentes das Cruzadas e do Khaibar [aldeia judaica destruída pelos muçulmanos em 629] …

Oh muçulmanos do mundo: Despertem, você tem dormido por muito tempo.

Seus pais e seus filhos estão sendo massacrados, a Al-Aqsa [Mesquita] está contaminada e destruída”.

Fonte: Gospel+

 

Pesquisa revela que evangélicos leem o dobro da população em geral

 21 de junho de 2012 

 

Um estudo realizado recentemente, revelou que os evangélicos brasileiros estão lendo mais. Segundo a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, incentivados pela leitura bíblica, os evangélicos leem o dobro da população em geral.

É o caso da contabilista Carolina Dias, que contou um pouco da sua experiência com a leitura, “De fato, conforme você vai lendo, vai querendo saber mais. Acredito que isso aconteça com aqueles que desejam conhecer mais a Deus. Foi o que aconteceu comigo. Eu não gostava mesmo de ler, mas, a partir da leitura da Bíblia, que foi escrita por homens inspirados por Deus, também comecei a ler outros livros que complementasses os ensinamentos.”, relata a jovem de 25 anos.

A perspectiva de crescimento é ainda maior, só no Brasil, são produzidas cerca de 8,5 milhões de Bíblias por ano. O comércio de livros evangélicos também tem crescido expressivamente, principalmente por causa da ascensão da classe C e também pelo crescimento da população evangélica no país.

Segundo informações da Câmara Brasileira de Livros (CBL), o segmento de livros evangélicos representou 14,7% no índice de faturamento do mercado no ano de 2011, o que representou um faturamento de R$479 milhões. Já para 2012, a projeção é crescimento, com a previsão de que os livros cristãos alcancem a marca de R$548 milhões de faturamento.

Fonte: Gospel+