EDITORA HAGNOS

Em meio às comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante (1517), apresentamos com grande alegria a obra:

A Reforma Protestante: história, teologia & desafios, organizada pelo professor doutor rev. Ricardo Bitun.

Esta obra é fruto da VI Semana Teológica, realizada pelo Centro de Educação, Filosofia e Teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, sob o tema “As bases da teologia reformada”. 

Ao afixar suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517, na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, Martinho Lutero não só convoca os doutores cristãos a uma profunda reflexão acerca das doutrinas em vigor como também finca em solo religioso cristão a gênese de um novo paradigma, uma nova maneira de perceber e compreender a sociedade em suas múltiplas relações com a religião.

Com isso, Lutero e os reformadores constroem uma ponte de transição entre o pensamento medieval e o pensamento moderno. 

Talvez seja isso o que leve Lutero a ser considerado um teólogo possuidor de refinamento em sua teologia e de complexidade em seu pensamento, o que resulta nas mais diversas interpretações e orientações acerca de sua obra. 

Podemos entender que a Reforma Protestante caracteriza-se como “uma reforma integral da sociedade”. Esta “reforma integral” acontece quando a voz profética da igreja, anunciada por intermédio dos seus profetas, denuncia as mazelas sociais, perturbando e alterando os caminhos da injustiça. 

Liderança com propósitosEditora Vida

Nestes doze capítulos sobre liderança, o pastor Rick Warren examina a vida e o ministério extraordinário de Neemias, um líder empreendedor e visionário. Em seu livro, Rick esboça importantes pontos de vista e analogias acerca do que pode ajudar um líder a ter êxito expressivo e relevante na condução das pessoas através de projetos difíceis. Estas lições e princípios bíblicos perenes podem mobilizar, motivar, encorajar e treinar os líderes a serem mais eficazes, efetivos e eficientes enquanto mantêm um caráter íntegro e cumprem os propósitos de Deus para a vida. Um livro que ajudará você e sua liderança! 

 Porque era um verdadeiro líder.

Porque compreendia o que um líder precisava ser e fazer.

Porque se organizou para realizar feitos incríveis em tempo recorde.

 "A Bíblia fala dos benefícios produzidos por uma liderança boa e sólida: 'A ordem se mantém com um líder sábio e sensato' (Provérbios 28.2). Em meio a tanta comoção e mudanças repentinas que vivemos hoje, a estabilidade tem de ser o pontal que nos permite sobreviver como sociedade. Somente acharemos estabilidade através de uma liderança boa e firme.   Isso significa que precisaremos de mais pessoas dispostas a se reconhecerem como líderes e prontas para aprender princípios bíblicos de liderança, aceitando também o desafio."

Editora HAGNOS

Comentários

Jó é sem dúvida um dos personagens bíblicos que viveu todas as circunstancias que desestruturam a família, mas também é o grande exemplo da vitória, pela confiança e domínio próprio.

Nada o separou de Deus: nem perdas, nem enfermidades, nem amigos, nem a esposa, nem circunstancias.

Ele soube com submissão e coragem vencer os obstáculos da sua vida.

Os tópicos avaliados – bens (finanças), filhos, saúde, casamento e amizades – refletem as grandes dificuldades enfrentadas pelas famílias em todos os tempos.

Sobretudo nestes dias de pós-modernidade, tais fatores tem sido as causas da derrocada de muitas famílias.

Comentários

Muitos de nós achamos a doutrina da Trindade – que Deus é três pessoas compartilhando uma natureza – difícil de entender e, francamente, um pouco embaraçosa. Além do mais, parece que conseguimos passar sem ela. Mas na realidade, a Trindade está no coração de tudo que cremos. A Trindade dá forma a verdade cristã.

 

O alvo deste livro é nos ajudar a ver que a doutrina da Trindade é “boas novas”, pois ensina-nos que Deus não está distante e desinteressado em envolver-se em um relacionamento vital e amoroso com sua criação. Entender melhor a doutrina da Trindade, ajuda-nos a perceber como podemos conhecer a Deus, o significado de sua encarnação em Cristo e a sua morte na cruz e a entender a nossa própria humanidade e a vida em comunidade.

 

Em capítulos breves e linguagem cessível, o autor Tim Chester oferece-nos uma compreensão profunda e bíblica da natureza de Deus trino, um panorama histórico sobre o desenvolvimento da doutrina da Trindade e implicações muito práticas e devocionais para nossa vida cristã.

 

Tim Chester é pastor da Igreja Grace in Boroughbridge, North Yorkshire, Inglaterra. É plantador de igrejas, faz parte do ministério Atos 29, fundador e um dos diretores do Seminário Porterbrook e é autor de mais de 20 livros. Tim é casado com Helen com quem tem duas filhas.

Editora Thomas Nelson Brasil

 

Há 500 anos, a Igreja foi agitada por alguns personagens que propunham mudanças cruciais no cristianismo: os reformadores.

Defendendo doutrinas como a justificação pela fé, a autoridade das Escrituras e a graça de Deus na salvação, eles enfrentaram as práticas religiosas vigentes e desafiaram dogmas estabelecidos há séculos no que ficou conhecido como Reforma Protestante.

Para compor Teologia da Reforma, Matthew Barrett reuniu um time de teólogos e historiadores para falar sobre as doutrinas ensinadas e defendidas pelos reformadores.

Michael Horton, Gerald Bay, Michael Reeves, Carl Trueman e muitos outros organizam um documento valioso para os cristãos, convocando-os a aprender com os líderes da Reforma e se apoiar em doutrinas baseadas na Bíblia que têm sido passadas de geração em geração.

Editora Fiel

 

 “Vivendo como servos de Deus” 1 Pedro 2.16

 Franklin Ferreira oferece ao leitor um rico estudo da espiritualidade cristã , sob os prismas devocionais e pastorais.
 

Trabalhando a partir da vida de trinta e dois importantes personagens da história da igreja, este livro considera a vida de alguns dos principais pensadores cristãos, como o terreno onde a devoção disciplinada e a espiritualidade cristã foram formadas, mostrando a ligação entre devocional disciplinada, erudição, produção teológica e renovação eclesial e social.
 

Em ordem cronológica, são eles: Policarpo de Esmirna, Irineu de Lião, Atanásio de Alexandria, Basílio de Cesaréia, Agostinho de Hipona, Leão Magno, Bento de Núrsia, Anselmo de Cantuária, João Wycliffe, João Huss, Tomás de Kempis, Martinho Lutero, Filipe Melanchthon, Ulrico Zuínglio, João Calvino, William Tyndale, Richard Baxter, John Bunyan, Blaise Pascal, Johann Sebastian Bach, Jonathan Edwards, John Wesley, William Carey, William Wilberforce, José Manoel da Conceição, Charles Spurgeon, Abraham Kuyper, Karl Barth, Dietrich Bonhoeffer, C.S. Lewis, Francis Schaeffer e D.M. Lloyd-Jones.
 

Ao Final de cada capítulo, o leitor poderá encontrar sugestões de leituras para aprofundamento e a recomendação dos livros escritos por esses homens, que em nome de Cristo, fizeram a história da igreja e servem de edificação, desafio, correção, conforto e estímulo em nossa peregrinação.

 

Franklin Ferreira é bacharel em Teologia pela Universidade Mackenzie e mestre em Teologia pelo Seminário Batista do Sul (RJ).

EDITORA FIEL

 

A Relevância da Reforma Hoje

 

Em 1517, um monge alemão pregou na porta da Igreja do Castelo um documento que desafiava as principais doutrinas da Igreja Católica Romana de seus dias.

Esta atitude deu início a um movimento que afetou a trajetória da história da igreja.

Mas, será que a Reforma ainda tem alguma coisa a nos ensinar?

Nesta obra, escrita em linguagem acessível e atual, Michael Reeves e Tim Chester respondem 11 questões vitais levantadas pelos reformadores - questões que permanecem de importância crucial para a vida da igreja e dos cristãos nos dias de hoje.

 

EDITORA FIEL

Em “10 Acusações Contra a Igreja Moderna”, Paul  Washer chama a igreja e os pastores ao padrão Bíblico de doutrina e vida. Alguns disseram que tal pregação figura as 95 teses de nossa era.

 Isso somente o tempo dirá, contudo é certo que cada ponto dessa mensagem deve ser martelado na mente e no coração de cada pessoa que deseja ver uma reforma na chamada “igreja moderna”. Vinícius Musselman Pimentel

Editora Hagnos

Comentários

Em casados e felizes o autor compara o casamento com uma mala velha, pesada e negativa, mas é sugestiva. Quando no casamos, levamos para casa uma mala com o nosso enxoval. Nesse enxoval, levamos não apenas roupas e material de cama, mesa e banho, mas também nossos hábitos, manias, cultura, idiossincrasias, vícios e deformidades.

 

Quando desfazemos essas malas e ajuntamos nossas tralhas, algumas coisas ficam sobrando, e essas coisas incomodam, e muito.

 

Deveríamos ser mais sensíveis ao nosso cônjuge e menos apegado a essas relíquias e antiguidades que transportamos nessa mala velha e sem alça.

 

Todo casamento é um campo a ser cultivado. E renúncia. Não há casamento perfeito nem casamento ideal. Não existe essa ideia de suas pessoas completamente compatíveis. Um casamento feliz é construído com inteligência, dedicação e esforço.

 

Leia mais...

Comentários

Como podemos despertar outros se estamos dormindo? Como falar com poder se não estamos inflamados por Deus? Como a Palavra pode fluir, ardente, de nossos lábios se estamos gelados? Lendo DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO, você vai ser impactado com essas e outras perguntas. Vai entender que para se ter uma vida cristã frutífera é preciso sair da geladeira e deixar que o coração seja inflamado.

Não basta proferir a Palavra de Deus, é preciso ser boca de Deus. E a condição para isso é arrependimento, vida pura, intimidade com o Pai. Se você quer ver o fogo do Espírito ateado em sua igreja e em sua pátria, é preciso ser como o graveto seco, porque quando o fogo pega no graveto seco, até a lenha verde começa a arder.

A promessa do derramamento do Espírito é atual, e é para você também. Basta que tenha sede de Deus e o busque de todo o coração.

Editora HAGNOS

Comentários

Em casados e felizes o autor compara o casamento com uma mala velha, pesada e negativa, mas é sugestiva. Quando no casamos, levamos para casa uma mala com o nosso enxoval. Nesse enxoval, levamos não apenas roupas e material de cama, mesa e banho, mas também nossos hábitos, manias, cultura, idiossincrasias, vícios e deformidades.

 Quando desfazemos essas malas e ajuntamos nossas tralhas, algumas coisas ficam sobrando, e essas coisas incomodam, e muito.

 Deveríamos ser mais sensíveis ao nosso cônjuge e menos apegado a essas relíquias e antiguidades que transportamos nessa mala velha e sem alça.

 Todo casamento é um campo a ser cultivado. E renúncia. Não há casamento perfeito nem casamento ideal. Não existe essa ideia de suas pessoas completamente compatíveis. Um casamento feliz é construído com inteligência, dedicação e esforço.

  

Hernandes Dias Lopes é pastor de confissão presbiteriana. Aos 56 anos de idade, é considerado hoje uma referência em diversos ambientes denominacionais, sendo frequentemente requisitado para pregações e conferências em eventos e igrejas de linha histórica, reformada e pentecostal. Começou a carreira ministerial com a graduação em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas (SP), em 1981. No ano seguinte, assumiu o púlpito da 1ª Igreja Presbiteriana de Bragança Paulista (SP). Em 1985, tornou-se titular da 1ª Igreja Presbiteriana de Vitória (ES), onde permanece até hoje.

 

Dono de sólida formação acadêmica - é doutor em Ministério tem doutorado em Ministério pelo Reformed Theological Seminary, do Mississippi (EUA).

EDITORA PEREGRINO

 

 

Algumas pessoas dizem que os cristãos jamais devem estar deprimidos. Tenho problema com esta afirmação, uma vez que sou tetraplégica e luto contra um câncer e com dores diariamente. 

Amo meu Salvador, sou apaixonada por Seu Evangelho e aprecio o ministério que Ele me deu. Mas isso não me exclui de vez em quando tropeçar no fosso lamacento de emoções escuras. Entusiasticamente endosso este livro e o recomendo para pastores, famílias, líderes e conselheiros cristãos!” - Joni Eareckson Tada.
 

Neste trabalho dolorosamente honesto, Dr. Somerville explica que a depressão não se restringe ao mundo secular. 
  

Ao longo da história, homens e mulheres de Deus - entre eles Martinho Lutero e Charles Spurgeon - sofreram nas trincheiras profundas de emoções escuras. Mas a Palavra de Deus promete vitória, aparentemente inalcançável, no final da tribulação, e uma nova força surge forjada a partir da adversidade e da dor na nova luz que segue a escuridão do desespero. 
 

 Você não está sozinho. Nesse livro, Se eu sou um cristão, Por que estou deprimido?, você encontrará não só o testemunho do autor, mas também de outros que têm lutado com depressão e através da oração e do aconselhamento bíblico tem vencido ao abraçar o amor restaurador de Cristo.

Editora  HAGNOS

 “Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações...”. Há poucos textos bíblicos mais conhecidos e citados do que esse, frequentemente denominado de a “Grande Comissão”.

Através dos séculos, essas palavras de Jesus têm inspirado milhões de crentes a levar o Evangelho aos lugares mais remotos da Terra.

Uns têm dado dinheiro; outros têm dado a vida. Uns foram bem recebidos; outros morreram como mártires nas mãos daqueles que esperavam evangelizar.

Em obediência a essas palavras, têm sido igrejas estabelecidas, escolas e hospitais, construídos; injustiças, desfeitas; mulheres oprimidas por tradições ancestrais, libertas, como também se têm ensinado milhões de pessoas a melhorar suas criações, a cuidar de sua saúde e a ler.

Se essa fosse toda a história, teríamos razões de sobra para nos gloriarmos e nos orgulharmos.

Mas existe também o outro lado. Através dos séculos, e até o dia de hoje, têm existido cristãos que utilizaram, e ainda utilizam, as palavras de Jesus para seus propósitos imperialistas ou de lucros.

Tem existido cristãos que, tomando o mandato missionário como índice de sua própria superioridade, e, com esse sentido de superioridade, têm destruído culturas e civilizações, estabelecido e defendido regimes despóticos, recorrido às armas para forçar os mais fracos a crer e justificado o injustificável.

Tudo isso dá ao estudo da história das missões sua importância e sua urgência. A história da expansão do cristianismo é, por sua vez, inspiradora e aterradora, servindo-nos de chamado e advertência.

 

Chama-nos a seguir a linha esplendorosa daqueles que antes de nós deram testemunho de sua fé. E nos adverte do perigo de imaginar que, por sermos cristãos fieis, não precisamos nos preocupar com as consequências de nossas ações e de nossas atitudes.


Justo L. González, de origem cubana e residente nos Estados Unidos, é um escritor e conferencista de trajetória reconhecida. Estudou no Seminário Evangélico de Teologia de Matanzas (Cuba), obteve o doutorado em teologia na Universidade de Yale (EUA). Foi professor do Seminário Evangélico de Porto Rico e na Candler School of Theology de Atlanta (Geórgia, EUA). É membro fundador da Asociación para la Educación Teológica Hispana, diretor do Programa Hispano de Verano e professor visitante do Princeton Theological Seminary. Autor de muitos livros, entre os quais figuram História do movimento missionário, Atos do Espírito Santo, Introdução à teologia cristã, Breve dicionário de teologia e Culto e cultura todos editados pela Editora Hagnos.

 

Carlos Cardosa Orlandi é doutor em missões pelo seminário teológico de Princeton de New Jersy, nos Estados Unidos, e atualmente é professor de cristianismo mundial no seminário teológico de Columbia, em Decatur, Georgia, Estados Unidos.

Editora: Thomas Nelson Brasil

 

Comentários:

As nossas obras têm algum efeito sobre nossa salvação?

Desde os tempos dos apóstolos Paulo e Tiago, os cristãos têm tentado definir a relação correta entre fé e obras.

Por um lado, Paulo afirma que salvação “não [é] por obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9).

Por outro, Tiago oferece uma visão diferente: “Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras” (2:18).

Seria possível conciliar essas duas visões aparentemente divergentes da verdade bíblica?

Em seu estilo característico e convincente, John MacArthur, um dos teólogos mais respeitados da modernidade, mostra que sim e encara de frente algumas das questões mais difíceis do Cristianismo.

Este livro, que já se tornou referência, é uma obra para todos os cristãos.

“O evangelho segundo os apóstolos é o mesmo evangelho que Jesus pregava”, afirma o Dr. MacArthur, “mas é dramaticamente diferente da mensagem diluída que hoje goza de tanta popularidade. Oro para que este livro lhe sirva como encorajamento em seu esforço de pôr em ação a sua própria fé.”

Comentários Expositivos Hagnos - Apocalipse

Hernandes Dias Lopes

 “O Apocalipse é sem dúvida um livro de revelações. O autor demonstra como a mensagem deste livro é atual e seu propósito relevante para hoje. Indo além da especulação futurista, expõe com clareza como o consagrado livro de profecias abriga uma mensagem de esperança que orienta os rumos e o propósito da história. O último livro bíblico, comentado por um brasileiro, está agora ao seu alcance”.
 

Hernandes Dias Lopes é pastor de confissão presbiteriana. Aos 56 anos de idade, é considerado hoje uma referência em diversos ambientes denominacionais, sendo frequentemente requisitado para pregações e conferências em eventos e igrejas de linha histórica, reformada e pentecostal. Começou a carreira ministerial com a graduação em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas (SP), em 1981. No ano seguinte, assumiu o púlpito da 1ª Igreja Presbiteriana de Bragança Paulista (SP). Em 1985, tornou-se titular da 1ª Igreja Presbiteriana de Vitória (ES), onde permanece até hoje. 

Dono de sólida formação acadêmica - é doutor em Ministério tem doutorado em Ministério pelo Reformed Theological Seminary, do Mississippi (EUA).

 

Hernandes é um dos escritores cristãos mais prolíficos da atualidade. Tem mais de 100 obras publicadas, com destaque para a série Comentários Expositivos Hagnos, títulos na área de família, como Casamento, Divórcio e Novo Casamento, Casados & Felizes e Mães Intercessoras, obras de teologia e espiritualidade como A Segunda Vinda de Cristo e sucessos editoriais, como Morte na Panela, Escolhas Perigosas e Pregação Expositiva.

EDITORA FIEL

 

DESCRIÇÃO

Guerras e rumores de guerras, terremotos, desastres naturais, revoluções internacionais. Jesus disse que todas essas coisas precederiam sua volta, no fim dos tempos. Parece até que Jesus estava descrevendo nossa época atual. Mas será que ele estava mesmo prevendo os eventos que vemos diariamente nos jornais?
 

Neste volume da série Questões Cruciais, o Dr. R. C. Sproul examina a profecia de Jesus sobre o fim dos tempos para responder à importante pergunta: Estamos vivendo nos últimos dias? Talvez a resposta o surpreenda, mas este livro o ajudará a interpretar cuidadosamente as profecias de Jesus, enquanto o grande dia de sua volta é aguardado.


R. C. Sproul é o fundador e presidente do Ministério Ligonier, localizado em Sanford, na Flórida. Ele também serve como pastor, pregando e ensinando na Saint Adrew's Chapel, e é presidente da Reformation Bible College.

 

Editora Fiel

 

DESCRIÇÃO

 

A mensagem proclamada hoje por muitos cristãos não é o evangelho segundo Jesus. É verdade que Jesus ensinou boas-novas, mas Ele não ensinou o crer fácil que assola o movimento evangélico contemporâneo. Muitos hoje entendem levianamente a salvação, por ignorarem as advertências de Jesus: de que o custo do discipulados é elevado, de que o caminho é estreito e de que nem todo aquele que o chama de Senhor será aceito no reino de Deus. O Evangelho Segundo Jesus ensina com clareza que não há vida eterna sem rendição ao senhorio de Cristo. 


Em O Evangelho Segundo Jesus, MacArthur não trata de assunto ou assuntos externos à fé, mas da questão central de tudo, ou seja, o que significa ser um cristão?... Se o livro de MacArthur conseguir desarraigar a muitos de seus leitores desse evangelho fraco e dessa falsa confiança, como creio que o fará, O Evangelho Segundo Jesus poderá ser um dos livros mais importantes de seu tempo! - James Montgomery Boyce.


Este livro é uma leitura obrigatória para todo cristão, especialmente para todos aqueles que estão em posição de liderança [na igreja]... A necessidade mais profunda das igrejas em nosso país é uma apresentação clara do evangelho... Há muito necessitamos desta cuidadosa análise de John MacArthur sobre as questões do evangelho. - David Hocking.

 

John MacArthur, nascido em 1939, é um dos líderes evangélicos mais preeminentes de nossos dias. Seus livros, pregações e ministério têm atingido milhões de pessoas, em todo o mundo. Ele exerce seu ministério pastoral na Grace Community Church, em SunValley, Califórnia desde 1969. É presidente do The Master`s College and Seminary e do ministério Grace to You.

DESCRIÇÃO

 

O PERÍODO INTERBÍBLICO


400 anos! Esse é o tempo que decorre entre o fim do Antigo Testamento e os acontecimentos do Novo Testamento. Esse tempo é conhecido como Período Interbíblico, que marca o silêncio profético de Malaquias até a pregação de João Batista. 

Durante muito tempo, esse período de silêncio recebeu muita atenção. Contudo, por meio deste livro, o respeitado pastor e professor Enéas Tognini, mostra-nos a importância deste período para a compreensão do Novo Testamento, sobretudo os evangelhos. 

Além de conduzir o leitor a uma viagem de Abraão e Malaquias, O período interbíblico revela as transformações pelas quais o judaísmo passou entre os persas, os gregos e os romanos até se tornar o que nos dias de Jesus. Também como surgiram as principais seitas do judaísmo, como os saduceus, os fariseus e os enigmáticos essênios. E o mais importante: explica como Deus agiu na preparação social e espiritual do mundo para a vinda do Messias.