ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

28-Júlia Vicente (filha/Eliabe)

30-Edson Gabriel (filho/Tei)

30-Josenilda Barbosa (E. Sátiro)

30-Mª de Lourdes

30-Dc. David Barcelos

ATIVIDADES DA IGREJA: as atividades da nossa Igreja estão suspensas até que as coisas retornem a sua normalidade. As informações de interesse da Igreja serão informadas aos irmãos através do grupo de Whatsapp da mesma. Assim sendo consulte sempre esse grupo.

Tamanho da letra:

      O Cristo Entronizado (Pr. Eudes)

 

    No estudo da doutrina da pessoa do Senhor Jesus, temos um tema conhecido pelo nome de Os Estados de Cristo. O primeiro Estado é conhecido pelo nome de Estado de Humilhação que consiste das fases: Encarnação, Nascimento, Sofrimento, Morte e Sepultamento de Cristo. O segundo Estado de Cristo é chamado de Estado de Exaltação que consiste das fases: Ressurreição, Ascensão, Entronização e Segunda Vinda de Cristo em glória. 

     Nesta reflexão teceremos um breve comentário sobre a fase conhecida como a Entronização de Cristo. A Bíblia diz que o Senhor Jesus como o eterno Filho de Deus habitava na glória celeste e estava revestido da glória que Lhe era própria como  Deus Filho. “E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse” Jo 17.5. Com a encarnação, o Verbo, o Senhor Jesus, esvaziou-se daquela glória que tinha e assumiu uma natureza humana, limitada, frágil, sujeita as tentações e a morte. Com a entronização, Cristo reassumiu a glória que Lhe pertencia por direito eterno. “Ora a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus a destra do trono da majestade” Hb 8.1. “Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte,...” Hb 2.9.

    Esse estado atual de Cristo tem uma implicação muito profunda na vida da Igreja, tendo em vista a Bíblia dizer que estão sujeitas a Cristo todas as coisas. “Que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dos mortos, e pondo-o a sua direita nos céus. Acima de todo o principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo o nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro; E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da Igreja” Ef 1.20-22. (Veja ainda 1 Pe 3.22).

    Diante disso, a Igreja pode se regozijar na revelação da Palavra de Deus de que Jesus exerce um poder soberano sobre tudo e todos. É Ele quem controla e mantém todas as coisas. O escritor aos Hebreus nos diz que Ele sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder (Hb 1.3). Tudo estar sob o controle do Senhor, inclusive as nossas vidas, os nossos projetos, nossos sonhos, os nossos empreendimentos, portanto, dependamos dele e confiemos nele e tudo correrá bem.