ANIVERSARIANTES DA SEMANA   

09-José Afonso (E. Sátiro)

10-Neusa de Moura

12-Edvando Bonifácio (Dc. R. do Sol)

14-Mª Teodória

15-Mª Eliane

Reuniões administrativas final de ano

13/12 – Reunião do Conselho Eclesiástico;

21/12 – Confecção Calendário 2019;

23/12 (M) - Assembleia da Igreja (homologação diretorias, recepção membros e separação para o oficialato )  

 

JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO: o nosso jantar de confraternização será no dia 31/12, logo após o culto de final de ano. O culto será no horário das 21 às 23h, seguindo-se o jantar, que será no estilo americano. O Pb. Evandro José será o coordenador desse evento.

Tamanho da letra:

As coisas que em breve devem acontecer (V)

A Ressurreição Geral

No programa divino está previsto a ressurreição dos mortos, tanto de salvos como de perdidos. O ser humano foi criado por Deus com uma parte material (corpo) e uma parte imaterial (alma chamada também de espírito). (Gn 2.7). O pecado de nossos primeiros pais atingiu a alma e o corpo do ser humano (Rm 5.12). Ainda segundo o plano divino, o homem integral (corpo e alma) é responsável pelos seus atos morais praticados durante a sua existência neste mundo.O Evangelho promete para o homem, além da salvação de sua alma, a ressurreição do seu corpo, glorificado, quando da segunda vinda de Cristo (1 Ts 4.16). No capítulo 15 de 1ª Coríntios o apóstolo Paulo discorreu longamente sobre a ressurreição, com corpos glorificados, dos crentes falecidos. (1 Co 15.1-58). Escrevendo aos Filipenses Paulo disse que o corpo dos crentes será transformado num corpo semelhante ao corpo do Cristo ressurreto, com as mesmas propriedades (Fp 3.20,21). A doutrina da ressurreição corporal tem respaldo tanto no Antigo como no Novo Testamento. No Antigo Testamento encontramos o profeta Daniel falando sobre o assunto (Dn 12.2). No Novo Testamento o Salvador num de seus sermões tratou também da questão (Jo 5.28,29). O Espírito Santo revela no texto de 1ª Coríntios 15 que os crentes que estiverem vivos no dia da Segunda Vinda do Senhor, terão os seus corpos mortais revestidos de imortalidade, ou glorificados. Isto quer dizer que tanto os mortos salvos ressuscitados como os salvos que estiverem vivos terão corpos glorificados, semelhantes. Sobre a ressurreição dos mortos não salvos a Bíblia não fala muito sobre o assunto. Infere-se que eles ressuscitarão com corpos especiais, capazes de suportar o juízo divino, e com esses corpos sofrerão eternamente. Falando sobre o juízo final, o autor de Apocalipse assim se expressou: “O restante dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos (Ap 20.5). Discute-se sobre o assunto quando ocorrerá a ressurreição dos mortos. Uns dizem que a ressurreição geral ocorrerá ao mesmo tempo quando da segunda vinda do Senhor (amilenismo). Outros acham que a ressurreição de salvos e perdidos ocorrerá separada uma da outra por 1.000 anos (premilenismo). Observando o escopo geral da doutrina, é melhor pensar numa única ressurreição geral quando da segunda vinda do Senhor, seguindo-se o juízo final e o estado eterno.         Pr. Eudes Lopes  Cavalcanti